Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Viúva de pastor que escreveu que ressuscitaria ficou três dias na funerária acreditando que ele voltaria a viver: ‘Usamos a fé’

_________________Publicidade_________________

A pastora Ana Rodrigues, viúva do pastor Huber Carlos Rodrigues, que escreveu que ressuscitaria no 3º dia após sua morte, ficou os três dias na funerária acreditando que ele voltaria a viver. O corpo dele foi enterrado na terça-feira (26) em Goiatuba, na região sul de Goiás.

“Usamos a fé. Todos contemplaram um clarão enorme e uma chuva mansinha em cima da funerária. Creio que naquele momento, Deus levou ele. Os mistérios de Deus a gente não entende”, comentou a pastora.

Ana Rodrigues disse que os trabalhos na igreja continuam após o enterro do ex-marido.

Pastor Huber Carlos Rodrigues e a esposa Ana Rodrigues em Goiatuba, Goiás — Foto: Reprodução/Rede Social

Pastor Huber Carlos Rodrigues e a esposa Ana Rodrigues em Goiatuba, Goiás — Foto: Reprodução/Rede Social

O texto que o pastor Huber escreveu ainda em 2008 dizia que o seu corpo não teria mau cheiro e não entraria em estado de decomposição no terceiro dia de morte. A pastora disse que estes milagres aconteceram.

“Eu estive com o corpo dele pelos três dias e realmente não teve mal cheiro algum e não houve decomposição. A pele estava firme ainda. Deus cumpriu o que prometeu”, contou Ana Rodrigues.

Centenas de pessoas acompanharam o sepultamento na terça-feira. Vídeos mostram uma multidão aguardando o cortejo. Eles cantaram em homenagem ao pastor. O enterro aconteceu às 0h30.

Pastor deixou documento assinado em 2008, em Goiatuba, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Pastor deixou documento assinado em 2008, em Goiatuba, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Carta

O pastor morreu por complicações cardiorrespiratórias em um hospital de Itumbiara, a 55 km de Goiatuba. No documento, assinado em 2008, o pastor disse que teve divinas revelações do Espírito Santo e que passaria por um “mistério de Deus”, onde ressuscitaria às 23h30 – três dias após sua morte. O prazo terminou na noite de segunda-feira (25).

“Minha integridade física tem que ser totalmente preservada, pois ficarei por três dias morto, sendo que no 3ª dia, eu ressuscitarei. Meu corpo durante os três dias não terá mau cheiro e nem se decomporá, pois o próprio Deus terá preparado minha carne e meu cérebro para passar por essa experiência”, escreveu no documento.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas