18 de maio de 2022   |   23:22  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Valor médio da dívida no Acre sobe R$98 entre fevereiro e março com famílias devendo mais no comércio e nos bancos

_________________Publicidade_________________

O percentual de famílias que relataram ter dívidas a vencer alcançou 77,7% em abril, o maior nível desde janeiro de 2010, início da série histórica da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Há um ano, no país, a proporção de endividados era de 67,5%, 10,2 pontos abaixo do percentual atual.

Os dados atualizados do Mapa da Inadimplência traz mais detalhes do endividamento no Acre. Em fevereiro eram 271.582 acreanos com mais de 18 anos inadimplentes mas hoje esse número caiu para 269.661 -em boa parte por conta das negociações oferecidas pelo Feirão Serasa Limpa Nome.

Mas daí surgiu um novo problema: o valor médio fevereiro de cada dívida no Acre era de R$3.701,68, segundo a Serasa. Em março, a média passou a R$3.800,00 -aumento de R$98,00 por pessoa, em média.

As principais dívidas dos acreanos em fevereiro eram utilities (58,9%), varejo (13,6%) e bancos e cartão (12,1%). As contas de utilities, que são faturas de consumo de água, energia elétrica, internet e outros, ainda lideram a inadimplência no Acre em março porém com índices menores. No entanto, as dívidas com varejo subiram para 14,60%, e banco/cartão passaram a 12,60%.

Além de tudo, o percentual de endividados com utilities (contas de água, luz, internet e outros) é o 2º maior da Amazônia, perdendo apenas para os inadimplentes do Amapá, onde 65,40% da população maior de idade não conseguiram pagar essas faturas em março.

Segundo a CNC, inflação alta, persistente e disseminada (IPCA em 11,3% ao ano), mantém elevadas as necessidades de crédito para recomposição da renda, fazendo com que as famílias encontrem nos recursos de terceiros uma saída para manter seu nível de consumo.

Em nível nacional, o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso bateu um novo recorde, atingindo 28,6% do total de famílias, 0,8 ponto maior do que o percentual de março e 4,3 pontos acima do apurada em abril de 2021, mostrando significativa piora na evolução, nos últimos três meses.

Com informações ac24horas.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS