Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Três pacientes com Covid-19 são transferidos do Acre para o Amazonas

_________________Publicidade_________________

Cinco pacientes seriam transferidos, mas um desestabilizou e outro a família desistiu no último momento. Aeronave da FAB levou pacientes para Manaus na noite desta sexta-feira (19).

Com o sistema de saúde em colapso, o Acre transferiu na noite desta sexta-feira (19) três pacientes com Covid-19 para a UTI do Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, em Manaus (AM). A transferência foi feita em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que decolou por volta das 23h20 (pelo horário do Acre).

Cinco pacientes seriam transferidos, mas um deles desestabilizou ainda no Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC) e o outro paciente a família desistiu no último momento e não autorizou a transferência.

Pacientes que precisam de UTI são transferidos do Acre para Manaus nesta sexta-feira (19) — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica Acre

Pacientes que precisam de UTI são transferidos do Acre para Manaus nesta sexta-feira (19) — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica Acre

Ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) levaram os pacientes do Into-AC para o Aeroporto Internacional de Rio Branco.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Entre os pacientes estão duas mulheres, de 53 e 74 anos, e um homem de 73. As duas mulheres estão intubadas e o outro paciente faz uso da Ventilação Não Invasiva (VNI), segundo a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre). A família de paciente, de 33 anos, desistiu da transferência e outro de 49 foi intubado na tarde desta sexta e não pôde embarcar.

Transferência de pacientes ocorre nesta sexta-feira (19) para Manaus — Foto: Secom

Transferência de pacientes ocorre nesta sexta-feira (19) para Manaus — Foto: Secom

A previsão inicial era de que o voo saísse do Acre às 11h desta sexta, mas, devido ao mau tempo, precisou ser adiado mais três vezes. O processo começou após às 20h.

Esta semana governo também transferiu de pacientes de Rio Branco para o Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul. Ao todo, quatro foram transferidos e uma paciente morreu horas depois de chegar no hospital do interior do estado.

Edilson Santana é um dos pacientes que vai para Manaus para tratar a Covid-19  — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica Acre

Edilson Santana é um dos pacientes que vai para Manaus para tratar a Covid-19 — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica Acre

Expectativa

O motorista Thyago Santana estava na porta do Into-AC aguardando a saída do pai, de 73 anos. Edilson Santana estava na unidade há cinco dias. Visivelmente emocionado, o motorista tem esperança de que o idoso volte logo para casa.

“A família estava ansiosa por esse momento. A expectativa é que ele volte. A gente está [mais tranquilo], conseguiu a transferência e aqui a não sabia se ia voltar”, destacou.

Ele diz que a família estava há dias buscando um leito de UTI para o idoso, mas sem sucesso. Segundo ele, o sentimento é uma mistura de medo e alívio por saber que o pai vai seguir com o tratamento intensivo. Ele pediu ainda conscientização das pessoas.

Paciente é transferido para hospital no Amazonas — Foto: Diego Gurgel/Secom

Paciente é transferido para hospital no Amazonas — Foto: Diego Gurgel/Secom

“O medo é terrível de perder alguém, que nem meu pai. Estamos há dias tentando conseguir uma vaga para ele e sabendo que estava sofrendo com dor. Que as pessoas se conscientizem usem máscaras, mantenham o distanciamento porque não é fácil. Adquiri o vírus, estou me recuperando, mas não é fácil, não desejo isso nem para o próprio inimigo. A gente tem que demonstrar amor ao próximo e é dessa forma, nos cuidando”, aconselhou.

Motorista Thyago Santana acompanhou a saída do pai do Into-AC em direção ao aeroporto de Rio Branco para viagem para Manaus — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica Acre

Motorista Thyago Santana acompanhou a saída do pai do Into-AC em direção ao aeroporto de Rio Branco para viagem para Manaus — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica Acre

Pandemia no Acre e colapso

O estado acreano registrou nesta sexta 64.878 casos de Covid-19 e 1.168 óbitos pela doença. Na tentativa de reduzir o casos da doença no estado, o governo iniciou no último final de semana a adoção de medidas mais restritivas com o fechamento das atividades consideradas não essenciais no estado.

Nesta sexta (19), o Comitê de Acompanhamento da pandemia suspendeu a coletiva de classificação de nível, mas manteve todas as regionais do estado em bandeira vermelha, de emergência.

No Pronto Socorro de Rio Branco, todos os 30 leitos de UTI disponíveis na unidade continuam ocupados. No Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC) a situação se repete. São 50 UTIs disponíveis e todas também estão ocupadas.

Rio Branco tem dezenove pacientes com Covid-19 na fila à espera de um leito em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Desse total, 12 são da rede pública e sete do hospital particular Santa Juliana.

O estado está em contaminação comunitária desde o dia 9 de abril, com uma taxa de incidência de e 7.253,2 casos para cada 100 mil habitantes. O Acre apresenta um coeficiente de mortalidade (óbitos por 100 mil habitantes) de 131% e de letalidade de 1,8%.

Dos 106 leitos de UTI nos hospitais da rede SUS disponibilizados no estado, 102 estão ocupados. Dessa forma, a taxa de ocupação total chegou a 96%. Os leitos de UTI estão concentrados na capital, com 85 vagas, e Cruzeiro do Sul, com 26.

Colaborou o repórter Andryo Amaral, da Rede Amazônica Acre.

Via: G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas