Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Tóquio 2020: Rayssa Leal é a medalhista mais jovem dos Jogos em 85 anos; conheça os prodígios

_________________Publicidade_________________

Com apenas 13 anos e 203 dias (seis meses e 22 dias), a maranhense Rayssa Leal, tornou-se a brasileira mais jovem a receber uma medalha olímpica — e a sétima medalhista mais jovem em toda a história dos Jogos Olímpicos de Verão.

Rayssa (conhecida como Fadinha), , é quatro meses mais jovem que a vencedora da modalidade, a japonesa Momiji Nishiya. A skatista do Japão se tornou a segunda medalhista de ouro mais jovem da história — um recorde que permanece intacto desde 1936 (confira abaixo o ranking completo).

Com 13 anos e 203 dias de idade, Rayssa Leal ganhou a medalha de prata no skate street, na Olimpíada de Tóquio, em 26 de julho de 2021 — Foto: Reuters

Com 13 anos e 203 dias de idade, Rayssa Leal ganhou a medalha de prata no skate street, na Olimpíada de Tóquio, em 26 de julho de 2021 — Foto: Reuters

Tóquio 2020 marcou a estreia em Olimpíadas do skate, um esporte que costuma ter atletas bastante jovens competindo desde cedo. A idade das três medalhistas na categoria street chamou atenção: as duas primeiras têm 13 anos e a medalhista de bronze (a japonesa Funa Nakayama), 16. A idade somada das atletas do pódio é 42 anos.

Em 125 anos de olimpíadas na era moderna, foram poucos os atletas com menos de 14 anos que conseguiram subir ao pódio.

Nos últimos 85 anos, desde Berlim 1936, a brasileira é a mais jovem medalhista olímpica.

Antes de Rayssa, a atleta mais jovem do Brasil era Rosangela Santos, parte da equipe brasileira de corrida no revezamento 4x100m que ganhou bronze em Pequim 2008.

Ela tinha 17 anos na época, mas só ganhou a medalha nove anos depois da prova — o Brasil havia chegado em quarto lugar, mas a equipe campeã, a Rússia, foi eliminada anos depois, após uma revisão de doping. Antes de Rosângela Santos, todos os atletas medalhistas mais jovens do Brasil tinham 18 anos — entre eles o fenômeno do futebol feminino, Marta, que ganhou prata em Atenas 2004.

Mistério

Há poucos dados sobre esportistas que participaram em alguns dos primeiros jogos da era moderna das Olimpíadas (que começaram em 1896 na Grécia).

Um dos grandes mistérios dos Jogos Olímpicos envolve a idade de um dos participantes da equipe holandesa de remo na Olimpíada de Paris de 1900. Na época, algumas equipes de remo coxswain em embarcações de quatro pessoas colocavam crianças para guiar — deixando o barco mais leve para os remadores.

A equipe holandesa teria recrutado uma criança francesa para sua embarcação (tornando os holandeses uma equipe de nacionalidade mista, algo permitido na época). A estratégia rendeu ouro para os holandeses, mas até hoje não se sabe o nome do menino que — especula-se — pode ter sido o mais jovem medalhista olímpico da história. Alguns dizem que, a julgar pelo peso das crianças recrutadas na época, o menino poderia ter entre 7 a 14 anos de idade.

Essa prática foi banida quando foram adotados limites de idade para se competir no remo.

Rayssa Leal ganha medalha de prata no skate nas Olimpíadas de Tóquio — Foto: Reuters

Os mais jovens: atletas em equipes

Baseado somente em dados oficiais dos Jogos Olímpicos, são poucos os competidores que, como Rayssa Leal, conquistaram medalhas antes dos 14 anos.

O mais jovem medalhista olímpico da história (que se tem registro) é Dimitrios Loundras, que fez parte da equipe de ginastas das barras paralelas da Grécia na Olimpíada de 1896, a primeira da era moderna.

O recorde de Dimitrios Loundras dificilmente será batido: ele tinha apenas 10 anos e 218 dias de idade, segundo o site oficial das Olimpíadas. A equipe de Loundras levou a medalha de bronze naquele evento. Após sua precoce trajetória olímpica, ele seguiu carreira como militar e morreu em 1970, aos 84 anos.

A segunda medalhista mais jovem da história dos Jogos — e a mais jovem no feminino — é Luigina Giavotti, que aos 11 anos de idade e 302 dias ganhou prata como parte da equipe de ginastas das Itália na Olimpíada de Amsterdã de 1928.

Aquela mesma equipe italiana vice-campeã olímpica tinha outras duas medalhistas com 12 anos de idade: Ines Vercesi (12 anos e 217 dias) e Clara Marangoni (12 anos e 270 dias) — respectivamente a quarta e sexta atletas mais jovens da história dos Jogos.

Os relatórios oficiais sobre a Olimpíada de Amsterdã de 1928 registram detalhes apenas dos homens que disputaram as provas de ginástica — não está discriminado qual equipamento ou modalidade cada uma das ginastas mulheres desempenhou nos Jogos.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas