Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Tio preso suspeito de abusar da sobrinha no AC vai para prisão domiciliar para tratar sequelas da Covid-19

Suspeito já tratava as sequelas da Covid-19 quando foi preso em abril no Bujari. Ele está com pneumonia e iniciou o tratamento em casa após sair do presídio.

_________________Publicidade_________________

A Justiça do Acre concedeu prisão domiciliar para um suspeito de abusar da sobrinha no Bujari, no interior do estado. O tio estava preso preventivamente desde o mês de abril e pediu para ficar em casa para tratar as sequelas da Covid-19.

A defesa do suspeito entrou com um habeas corpus na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre. Ele adquiriu pneumonia após ser infectar com o novo coronavírus e a unidade prisional não dispõe do tratamento necessário para atender o preso.

O homem foi preso pela Polícia Civil por estupro de vulnerável. A vítima é sobrinha dele e teria 15 anos hoje.

Ao G1, o advogado do suspeito, Roberto Barreto de Almeida, explicou que o cliente já estava tratando a Covid-19 quando foi preso. Ele teria se apresentado na delegacia e lá recebeu voz de prisão do delegado.

“O juiz entendeu, por uma questão de saúde e pela precária decisão do juiz que determinou a prisão dele. Ele foi espontaneamente prestar depoimento e lá o delegado deu voz de prisão em razão de um mandado de prisão”, acrescentou.

Além da pneumonia, o suspeito estaria com outras sequelas da doença. Ele nega as acusações de estupro. Enquanto estiver em casa, o suspeito não pode ter contato com vítima, sair à noite, ficar no endereço informado à polícia e outras.”Ele está de repouso em casa recebendo a medicação. Entramos com o habeas corpus, agora vão continuar com as investigações, vai para o Ministério Público e vão oferecer denúncia contra ele”, concluiu.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas