Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Terra dos Nauas, município de Rodrigues Alves completa 28 anos nesta quarta

Sua população era de 17.945 habitantes segundo a estimativa do IBGE para 2017 e sua área é de 3.305 km² (3,8 hab./km²). Limita ao sul com o Peru, a leste com o município de Cruzeiro do Sul e a oeste com o município de Mâncio Lima.

_________________Publicidade_________________

Um dos primeiros núcleos urbanos do interior do Acre, o município de Rodrigues Alves, no Vale do Juruá, que hoje completa 28 anos de emancipação política e administrativa, já foi o lar dos índios da etnia Nauas (que também é grafado nawas), um povo indígena de língua da família Pano, que habitava a região e que hoje está praticamente extinto por meio da colonização indiscriminada de suas terras, restando aproximadamente 300 indivíduos mestiços no município de Mâncio Lima, a alguns quilômetros dali.

Localizado no oeste do Estado do Acre, o município está situado à margem direita do Rio Juruá e um dia foi chamado de terra dos índios Nauas. Eram tempos em que o município na época era apenas a sede do “Seringal Buritizal”, que mudou de nome para Florianópolis e, em 1940, ainda na época do Acre como território federal, passou a se chamar “Colônia Rodrigues Alves”, em homenagem ao quinto presidente da República Francisco de Paula Rodrigues Alves, que governou o país de 1902 a 1906.

Em 1960, a colônia passou a uma pequena vila de Cruzeiro do Sul. Em 28 de abril de 1992, Rodrigues Alves é desmembrada de Cruzeiro do Sul e Mâncio Lima, e passa a ser um município do Estado do Acre, no governo de Edmundo Pinto.

Apesar de sua fundação ser em 28 de abril, a comemoração de aniversário ocorre em 28 de Julho, sendo comemorado pela tradicional marchas de todas as escolas do município.

Uma dúvida comum é a pronúncia correta do nome Rodrigues Alves. Na oralidade não há separação na pronúncia e entre “Rodrigues” e “Alves”, o “S” soa como “Z”. Sua população era de 17.945 habitantes segundo a estimativa do IBGE para 2017 e sua área é de 3.305 km² (3,8 hab./km²). Limita ao sul com o Peru, a leste com o município de Cruzeiro do Sul e a oeste com o município de Mâncio Lima.

Se já não é mais o lar dos índios Nauas, o município abriga o Parque Nacional da Serra do Divisor, uma unidade de conservação de proteção integral da natureza localizada na fronteira com o Peru, com território distribuído pelos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Rodrigues Alves, onde localiza-se sua maior parte. Ali está, apontam vários estudos científicos, a maior biodiversidade do planeta, em plantas, animais e insetos.

A principal forma econômica é no extrativismo vegetal, principalmente de madeira, pecuária e de produção de farinha. É um município com forte inclinação para o catolicismo, influencia de padres alemães que sempre conviveram com a comunidade. O IBGE aponta que pelo menos 63,3% da população são católicos.

Em 1999, o município entrou para o noticiário nacional por um fato insólito: o abate de um boi para uma churrascada. Seria, no caso, só mais um churrasco se o boi não fosse chamado “Sanacre” e, adestrado, não transportasse a água do rio Juruá para bastecer escolas, repartições públicas e o pequeno posto de saúde e até a Igreja local numa época em que a antiga companhia de saneamento do Estado não prestava este tipo de serviço na localidade.

Um grupo de malfeitores, aproveitando-se da docilidade do animal, o abateram e fizeram um churrasco. A cidade, além de ficar sem água, entrou em comoção pela morte do animal.

Rodrigues Alves município localizado no oeste do Acre.
Rodrigues Alves

Por Tião Maia

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas