9 de agosto de 2022   |   18:54  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Síndrome gripal; aumento no número de casos põe em alerta autoridades da saúde em Cruzeiro do Sul

Para se ter uma ideia, o Acre já registrou pelo menos cinco óbitos.

_________________Publicidade_________________

Redação Juruá Online

O surto de gripe influenza ainda persiste no Brasil, e não é diferente em Cruzeiro do Sul. Apesar da parte mais difícil ter sido entre os meses de dezembro e fevereiro, onde mais de 250 pessoas passavam por dia, nesse período, na UPA, ainda são diversos os casos registrados nas unidades de saúde.

De acordo com Rafaela Oliveira, coordenadora de Vigilância epidemiológica do município, ultimamente os números de casos e internações têm aumentado.

“A gente observou em números, que a partir do final do mês de março, e início do mês de abril, um aumento no número de casos de síndromes gripais, um aumento também dessas internações (…) aquelas pessoas que por algum motivo evoluíram com sinais graves, dispnéia, que é falta de ar, cansaço, tosse persistente e febre, e precisaram realizar o tratamento hospitalizado. A gente observou esse aumento principalmente na população infantil (…) e também nos idosos”, explicou a coordenadora.

Uma confirmação da elevação do crescimento da doença é justamente a procura por medicamentos nas farmácias, onde muitos entram em  falta devido o aumento da demanda.

“Nos últimos dois meses, a gente teve um aumento bem considerável, posso dizer assim, a respeito da procura de medicamentos para gripe, tosse, isso tanto no uso adulto quanto pediátrico”, pontuou Michael Costa, atendente de farmácia.

Nas unidades de ensino, com frequência, estudantes têm faltado às aulas, inclusive as escolas têm orientado os alunos com sintomas de gripe, a ficarem em casa até posterior recuperação da saúde.

“A orientação que nós damos aos pais de nossos alunos, é que quando a criança apresentar gripe, febre, tosse, coriza, espirros, que não venha para a escola, porque nós sabemos que a gripe se espalha pelo ar”, declarou Samides Maciel, coordenadora de ensino.

A situação que tem preocupado muito as autoridades de saúde é quanto à ocorrência de síndromes gripais agudas em crianças. Para se ter uma ideia, o Acre já registrou pelo menos cinco óbitos. O caso mais recente foi de um bebê de dez meses, que morreu vítima da doença.

Assista a reportagem:

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS