Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Sindicato diz que PS de Rio Branco enfrenta falta de insumos e está sem medicamentos usados para intubação

Denúncia teria sido feita por médicos do Pronto Socorro ao Sindmed. Profissionais estariam sem luvas e outros materiais básicos utilizados na UTI. Sesacre negou falta e afirmou que enviou insumos nesta sexta (19) para a unidade.

O Pronto-Socorro de Rio Branco, que atende pacientes com Covid-19, estaria sem medicação usada para intubação e outros insumos para os atendimentos. A informação é do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed).

Entre os insumos que estariam faltando estão: luvas de procedimento, bombas de infusão para medicamentos usados em pacientes da UTI, aparelho para aferição da pressão venosa central (PVC), medicação para intubação, antifúngicos, catéteres, sondas enteral, usadas para alimentação do paciente intubado.

O presidente em exercício do Sindmed, Guilherme Pulici, destacou que todos os insumos são utilizados em pacientes internados na UTI. Entre esses insumos estão também um relaxante muscular, que é usado na intubação, mas que estaria em falta em todo Brasil devido à alta demanda com a pandemia.

“Esse, parece, que estão faltando no Brasil inteiro. Conversei com alguns colegas em São Paulo e estão relatando que está faltando o relaxante muscular porque nunca foi tão utilizado na história. Isso não é um problema local. Outros materiais são básicos, essenciais na UTI, tudo é importante. Como estamos em uma situação em que as UTIs estão lotadas, os pacientes podem precisar disso. A ideia, como estamos como lotação, é ter se reserva”, frisou.

Ao G1, a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) informou que, nesta sexta-feira (19), foram enviadas ao PS caixas com os insumos para as equipes. A pasta negou que faltasse algum equipamento ou medicamento e alegou que estava chegando mais para não faltar.

Ainda segundo Pulici, a ideia com a divulgação era também para alertar a população para seguir com a normas sanitárias e evitar a internação. “Não queremos atacar governo nenhum, mas falar para a população de que se adoecer não vai ter. É para reforçar o distanciamento social, os pacientes do grupo de risco vão se comportar mais. Às vezes, infelizmente, é preciso assustar, não estamos inventando nada”, frisou.

Ocupação

No Pronto Socorro de Rio Branco, todos os 30 leitos de UTI disponíveis na unidade continuam ocupados. Já no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), são 50 UTIs disponíveis, e todas também estão ocupadas.

O Acre registrou até esta sexta-feira (19), 64.878 casos de Covid-19 e 1.168 óbitos pela doença, segundo o boletim da Secretaria de Saúde do estado (Sesacre).

O Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre, já recebeu três pacientes, sendo que um deles morreu após chegar à unidade. Após a transferência, a direção da unidade disse que o hospital está ficando sem vagas disponíveis.

Outros cinco pacientes devem ser transferidos para leitos de UTI do Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, em Manaus (AM), ainda nesta sexta-feira (19). A informação foi confirmada ao G1 pela Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre).l

Rio Branco tem dezenove pacientes com Covid-19 na fila à espera de um leito em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Desse total, 12 são da rede pública e sete do hospital particular Santa Juliana.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas