Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Sem querer, doméstica joga fora R$ 10 mil da patroa, caminhão é rastreado e garis acham dinheiro no lixo

Pacote foi colocado na lixeira por empregada, que não sabia que havia cédulas. Garis passaram mais de três horas procurando, em meio a resíduos e entulhos, no Recife.

Por pouco, uma moradora do Recife não perdeu R$ 10 mil. É que a empregada doméstica que trabalha para ela jogou no lixo um pacote, sem saber que havia dinheiro. As notas foram recuperadas por garis e devolvidas para a dona, após três horas de busca em meio aos resíduos e entulhos.

A dona das cédulas também contou com um pouco de sorte. O dinheiro foi recuperado depois que o caminhão que fez a coleta foi rastreado por meio de GPS pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb).

A jornada em busca do dinheiro perdido começou quando a funcionária pública Luiza Martins, que trabalha na Emlurb, recebeu um telefonema de uma mulher, dizendo que havia dinheiro no lixo. O valor estava embrulhado em um pedaço de papel, mas a empregada doméstica, que não sabia, jogou o pacote na lixeira.

Quando a dona da casa descobriu, as notas já estavam no caminhão de lixo. “Eu fiquei super assustada. Uma pessoa ligou e disse que botou uma importância de R$ 10 mil no lixo, numa época dessa. Eu me desesperei, disse ‘vamos fazer alguma coisa para ajudar'”, afirmou.

Garis recuperaram R$ 10 mil jogados no lixo, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Garis recuperaram R$ 10 mil jogados no lixo, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Segundo Avelino Pontes, gerente de Fiscalização e Limpeza da Emlurb, foi fácil localizar qual equipe de coletores retirou o lixo do local em que o dinheiro foi jogado.

“Assim que Luiza me passou o fato, eu entrei em contato com a nossa central de controle, porque todos os nossos veículos têm GPS, são monitorados em tempo real. E aí, em cima do que a moradora passou, foi fácil localizar o caminhão, o motorista e a equipe, que é formada por três garis”, declarou.

Quando o caminhão foi localizado, Avelino Pontes pediu que o motorista mudasse a rota, para tentar encontrar o dinheiro. O pacote, no entanto, estava dentro do compactador de lixo, em meio a três toneladas de todos os tipos de resíduos.

Os coletores levaram três horas e meia para encontrar o dinheiro. “A motivação era encontrar. A gente não ia parar até encontrar o dinheiro”, afirmou Josenildo Pereira, coletor de lixo.

Via: G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas