Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Segurança eletrônica no Acre vai ser ampliada com instalação de mais 20 câmeras

Sejusp quer ampliar o cerco eletrônico para evitar roubos e furtos na capital e no interior. Vão ser instaladas mais de 20 câmeras de segurança para aumentar o cerco eletrônico.

_________________Publicidade_________________

A segurança eletrônica do Acre vai ser ampliada com a instalação de mais 20 câmeras de monitoramento. A capital acreana, Rio Branco, já utiliza 50 câmeras para o cerco eletrônico e videomonitoramento.

Agora, a tecnologia vai ser ampliada para o interior do estado. Em janeiro começou a funcionar o Departamento de Gestão Integrada de Segurança Eletrônica e Contramedidas com objetivo de agilizar a reestruturação e ampliação do parque tecnológico.

“As câmeras convencias são destinadas à presença da Segurança Pública por meio da captura de imagens, prevenção e identificação de crimes prévios e temos também aquilo que chamamos de monitoramento inteligente chamado cerco eletrônico, que se permite a identificação de frotas de veículos e também de pessoas pelo reconhecimento facial”, explicou o secretário de Segurança Pública e Justiça do Acre, Paulo César Araújo.

A ideia é aumentar a vigilância em algumas regiões da capital e do interior com ajuda dessas câmeras de segurança. A tecnologia é uma forma de controlar mais ainda a movimentação em pontos com mais índices de criminalidade.

Segurança Pública vai instalar mais 20 câmeras de segurança em Rio Branco e no interior  — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Segurança Pública vai instalar mais 20 câmeras de segurança em Rio Branco e no interior — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acrehttps://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Cerco eletrônico

Ainda segundo o secretário, uma das principais preocupações da Segurança Pública é aumentar o cerco eletrônico e fortalecer o combate de crimes na fronteira, como tráfego de drogas e roubos de carros.

Araújo revelou que essa tecnologia está sendo instalada na região do Alto Acre, que faz fronteira com a Bolívia e o Peru. As equipes querem evitar que veículos roubados e furtados sejam levados para outros países pelo Acre.

“Uma questão pontual de controle de roubo de veículos, principalmente. Temos a possibilidade de extensão para a região de Capixaba, em especial Plácido de Castro, e a BR-364 no sentido de Porto Velho para minimizar os efeitos de roubos de veículos na capital, que normalmente são insumos para o tráfico e a violência derivada do entorpecente”, garantiu.

A operação do Departamento de Monitoramento é comandada por Alexandre Nascimento. Ele conta que esse trabalho tem sido desenvolvido para dar apoio às forças policiais no combate ao crime.

“É uma solução integrada de hard e soft que trabalha com analítico de inteligência processando imagens e subsidiando as forças policiais com a ações preventivas, monitorando áreas públicas para que a gente dê um aporte maior à população acreana sobre a proteção do patrimônio privado”, destacou Nascimento.

Outro investimento que está em fase final é a implantação da tecnologia que permite o reconhecimento facial em pontos onde há maior circulação de pessoas. “É uma ação importante não só para a identificação de atores em conflito com a lei como também para investigação futura de delitos que possam ocorrer em espaços públicos e privados”, concluiu o secretário.

Em janeiro, Sejusp instalou o Departamento de Gestão Integrada de Segurança Eletrônica e Contramedidas  — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Em janeiro, Sejusp instalou o Departamento de Gestão Integrada de Segurança Eletrônica e Contramedidas — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas