2 de julho de 2022   |   12:55  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Segundo Boletim de Ocorrência, homem asfixiado foi abordado pela PRF por estar sem capacete

No documento, os agentes admitem ter usado spray e que o imobilizaram dentro do porta-malas da viatura com gás lacrimogêneo, mas afirmam que a causa do óbito foi “possivelmente um mal súbito”.

_________________Publicidade_________________

redação Juruá Online

Na última quarta-feira (25), Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morreu durante abordagem da Polícia Rodoviária Federal na cidade de Umbaúba, em Sergipe. Vídeos compartilhados em redes sociais mostraram a viatura da PRF sendo usada como uma espécie de “câmara de gás” com a vítima presa no porta-malas.

O laudo inicial do Instituto Médico Legal confirmou o óbito por asfixia e insuficiência respiratória.

A família de Genivaldo registrou um Boletim de Ocorrência (B.O). A Polícia Federal abriu inquérito, na quinta-feira (26), para investigar a ação dos policiais rodoviários envolvidos na abordagem.

De acordo com o Boletim de Ocorrência obtido pelo site The Intercept, a equipe de motopoliciamento tático fiscalizava a rodovia BR 101, em Umbaúba (SE), quando “visualizou uma motocicleta de placa OUP0J89/SE sendo conduzida por um indivíduo sem capacete de segurança, motivo pelo qual procedeu à sua abordagem”.

A vítima teria sido abordada por estar conduzindo uma motocicleta sem capacete. Segundo o boletim de ocorrência, os agentes pediram que ele descesse do veículo e levantasse sua camisa, mas ele teria resistido e demonstrado “agitação”.

No documento, as autoridades admitem ter usado spray de pimenta e que o imobilizaram dentro do porta-malas da viatura com gás lacrimogêneo, mas afirmam que a causa do óbito foi “possivelmente um mal súbito”. O IML, no entanto, confirmou que Genivaldo morreu por “asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda”.

Leia mais:

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS