29 de junho de 2022   |   08:24  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Sargento da PM do Acre esfaqueado por homem durante ocorrência precisa de doações de sangue

Doações de qualquer tipo sanguíneo para o sargento Éberson Lunardi podem ser feitas no Hemoacre de Rio Branco e Hemonúcleo de Cruzeiro do Sul. Sargento passou por uma cirurgia no PS nesta terça (31).

_________________Publicidade_________________

Amigos, colegas de farda e familiares iniciaram uma campanha de doação de sangue para o sargento da Polícia Militar Éberton Lunardi, de 40 anos, esfaqueado durante uma ocorrência em Xapuri, interior do Acre, na noite dessa segunda-feira (30). O militar está entubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto Socorro.

Na manhã desta terça (31), o militar passou por uma cirurgia no PS e foi levado estabilizado para a UTI, após o procedimento.

Segundo a PM-AC, o quadro do sargento é estável. Lunardi foi atingido no pulmão, mesmo com colete, por José Alberto Coelho Cunha, de 58 anos, suspeito também de ferir o irmão dele, de 70 anos, durante a ocorrência.

Conforme a polícia, José Cunha tinha transtornos mentais e foi morto por outro militar após as agressões. Ainda segundo a PM-AC, Cunha era conhecido na cidade por correr atrás das pessoas e causar danos ao patrimônio.

Na divulgação da campanha, os organizadores informaram que pode ser doado qualquer tipo de sangue para o militar. As doações podem ser feitas no Hemoacre de Rio Branco, que fica na Avenida Getúlio Vargas, e também no Hemonúcleo de Cruzeiro do Sul, no interior, ao lado da maternidade.

Investigações

O delegado responsável pelo caso, Gustavo Neves, disse ao g1, na manhã de segunda, que José Cunha furou o irmão idoso na rua. Populares que estavam próximos do local chamaram um policial civil que passava no momento da agressão.

O policial levou o idoso para o hospital e depois tentou localizar Cunha. Testemunhas informaram onde o homem estava e o policial tentou conversar com ele ao chegar no local indicado. Contudo, segundo relatos, Cunha estava bastante agressivo com uma faca na mão.

Depois disso, o policial pediu reforço à Polícia Militar e uma equipe de serviço foi prestar apoio. A informação é que Cunha entrou em uma pensão e se trancou dentro do estabelecimento e os policiais tentaram prendê-lo, foi quando o sargento Lunardi tentou atingir ele com um taser [arma de choque] e não conseguiu acertar.

“Então, ele saiu do quarto com a faca e deu um golpe no policial que caiu e, nesse momento, o outro PM que estava junto na ocorrência efetuou disparo porque o agressor ia furar de novo o policial. Ele efetuou quatro disparos até que o agressor parasse de tentar furar o outro”, acrescentou.

O sargento da PM também foi socorrido pelo policial civil que já tinha socorrido o idoso. Após ser socorrido em Xapuri, ele foi transferido para Rio Branco.

O delegado disse ainda que, conforme informações da família, Cunha tinha problemas mentais e que também tinha histórico na cidade de apresentar comportamentos agressivos.

“Ele tem histórico de correr atrás dos outros, às vezes com faca, já destruiu muito o patrimônio público, porta de banco, do fórum. A gente ainda não sabe o detalhe do que aconteceu, se não estava tomando o medicamento. Tem que ser apurado”, explicou.

G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS