Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Rio Envira volta a transbordar e atinge cerca de 3 mil pessoas em Feijó, no interior do Acre

Manancial marcou 13,02 metros nesta segunda-feira (29) e está com mais de um metro acima da cota de transbordo. Seis famílias foram levadas para um abrigo montado na Escola Imaculada Conceição e ao menos quatro bairros estão atingidos.

O Rio Envira voltou a transbordar na cidade de Feijó, no interior do Acre, e já atinge cerca de três mil pessoas. Segundo dados da Defesa Civil Municipal, o manancial marcou 13,02 metros às 6h desta segunda-feira (29) e está com mais de um metro acima da cota de transbordo, que é de 12 metros.

Essa é a terceira vez que o manancial transborda na cidade este ano e afeta centenas de famílias. Ainda segundo a Defesa Civil, seis famílias com 25 pessoas estão desabrigadas e foram levadas para um abrigo montado na Escola Imaculada Conceição. O órgão ainda não tem o número de famílias desalojadas, aquelas que vão para casas de parentes após serem atingidas.

Localidades atingidas

  • Bela Vista
  • Bairro do Hospital
  • Aristides
  • Parte do Centro

Enchente

Em fevereiro deste ano, o Rio Envira, assim como outros mananciais de 10 cidades do Acre, transbordou e atingiu centenas de famílias. Ao todo, nesses municípios, cerca de 130 mil moradores foram afetados pelas enchentes.

No último dia 1º, o rio em Feijó recuou e saiu até da cota de alerta, que é de 11,50 metros e marcou naquele dia 10,20 metros. Nos dias seguintes, o rio continuou baixando e no dia 4 de março voltou a ficar acima da cota de alerta quando marcou 11,51 metros. Depois voltou a vazar e no último dia 10 ultrapassou a cota de transbordo, chegando a 12,55 metros. O manancial tinha recuado novamente nos últimos idas, mas voltou a ultrapassar a cota de transbordo.

Ainda segundo os dados da Defesa Civil, na enchente de fevereiro deste ano, o Rio Envira marcou sua cota histórica, chegando a 14,54 metros no dia 22 de fevereiro, superando a então cota histórica de 14,48 de fevereiro de 2015.

Foi quando, ao ficar com 3,2 mil pessoas atingidas pela enchente, a Prefeitura de Feijó declarou situação de emergência, no último dia 22 de fevereiro. No mesmo dia o governador Gladson Cameli decretou calamidade pública e o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu, em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), o estado de calamidade nos municípios de Rio Branco, Sena Madureira, Santa Rosa do Purus, Feijó, Tarauacá, Jordão, Cruzeiro do Sul, Porto Walter, Mâncio Lima e Rodrigues Alves.

Beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) das 10 cidades do Acre que foram atingidas pela cheia em fevereiro terão os pagamentos antecipados a partir deste mês, decidiu o órgão previdenciário em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) no último dia 19 de março.

Via: G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas