Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

‘Recuo de Bolsonaro após atos golpistas surpreende integrantes do governo e desagrada militância

_________________Publicidade_________________

BRASÍLIA — O recuo do presidente Jair Bolsonaro após insuflar a militância com falas antidemocráticas durante os atos de 7 de Setembro surpreendeu integrantes do primeiro escalão do governo e desagradou apoiadores. A “declaração à nação” foi construída com a ajuda do ex-presidente Michel Temer e um pequeno grupo de auxiliares do Planalto. O presidente foi convencido como o único caminho para estancar o agravamento da crise política. A medida, porém, foi avaliada como drástica por contrariar a base mais fiel do presidente, que já protesta nas redes sociais. 

Agora, o Palácio do Planalto espera que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, também faça um gesto pela pacificação.  Antes da divulgação do texto, Bolsonaro chegou a conversar por telefone com Moraes em uma ligação intermediada por Temer.  Como mostrou o colunista Lauro Jardim, Bolsonaro e Moraes ficaram de se encontrar em breve.

Responsável pelo inquérito das fake news, Moraes determinou a prisão de aliados do presidente e se tornou o principal alvo da militância.   O ministro do STF havia sido chamado de “canalha” por Bolsonaro na manifestação da Avenida Paulista na terça-feira. Nesta quinta-feira, Bolsonaro, no texto divulgado,  disse que suas  “palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum.” 

Via-O Globo

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas