Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Raio-x do México: ataque de 14 gols se constrói pelas pontas com dribles e triangulações

Adversários do Brasil nesta terça na semifinal, mexicanos marcaram em 10 jogadas pelos lados do campo, principalmente pelos pés do ponta Vega. Mas há fragilidade na marcação à frente da área

_________________Publicidade_________________

A seleção brasileira olímpica masculina terá pela frente ataque que fez estragos nesta Olimpíada de Tóquio 2020. Foram 14 gols em apenas quatro jogos, com apetite pouco visto em competição de tiro curto. O México aplicou três goleadas – 4 a 1 sobre a França, 3 a 0 na África do Sul e 6 a 3 nas quartas de final contra a Coreia do Sul. Perdeu apenas para os donos da casa, por 2 a 1.

O técnico Jaime Lozano, ex-meio-campista da seleção mexicana, armou equipe ágil, com dois pontas abertos e que ataca com boa variação de jogadas e aproximação dos meias. Dos 14 gols, 10 deles saíram em jogadas pelas pontas – seis pela direita e quatro pela esquerda.

Aos 42 anos, Jaime Lozano, ex-jogador da seleção mexicana, é o técnico da seleção azteca nas Olimpíadas — Foto:  Zhizhao Wu/Getty Images

Aos 42 anos, Jaime Lozano, ex-jogador da seleção mexicana, é o técnico da seleção azteca nas Olimpíadas — Foto: Zhizhao Wu/Getty Images

Brasil e México se enfrentam nesta terça-feira, no estádio do Kashima, às 5h – horário de Brasília – pela semifinal do torneio masculino de futebol. O vencedor faz a final com Espanha ou Japão

Os Gols de África do Sul 0 x 3 México pela fase de grupos do futebol masculino

Os Gols de África do Sul 0 x 3 México pela fase de grupos do futebol masculino

A formação inicial dos mexicanos tinha Alexis Vega, ponta do Guadalajara, base da seleção com quatro atletas ao lado do America, com outros quatro convocados. Do outro lado, Diego Lainez, caçula do grupo, único jogador nascido em 2000 entre os convocados. Em sistema semelhante ao de Jardine, eles trabalham com pés invertidos – Vega, destro, pela esquerda, e Lainez, canhoto, na direita.

A partir da terceira partida, Uriel Antuna ganhou a vaga de Lainez, que entrou muito bem nas quartas de final e fez linda jogada para outro reserva, o atacante Eduardo Aguirre, do Santos Laguna. Jogador de Bétis, da Espanha, Lainez tem duas assistências no torneio. Ele é o único que atua fora do país.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas