Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Quatro são presos suspeitos de participação na morte de cabeleireiro achado degolado e sem os dentes no Acre

_________________Publicidade_________________

Crime ocorreu em fevereiro de 2019 em Rio Branco. Após mais de dois anos de investigações, suspeitos foram identificados e presos pela DHPP nessa terça-feira (18) na capital.

Quatro suspeitos de envolvimento na morte do cabeleireiro Tiago de Araújo Costa, de 21 anos, em fevereiro de 2019 em Rio Branco, foram presos pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) nessa terça-feira (18).

Depois de três dias desaparecido desde que saiu de uma festa em um bar do Polo Benfica, em Rio Branco, o corpo do jovem foi encontrado dentro de um matagal em estado de decomposição, degolado e sem os dentes.

O cadáver foi achado por um morador, na mesma região que o jovem desapareceu. Segundo os parentes da vítima relataram na época, Costa foi levado por três homens quando retornava da festa para casa.

Após mais de dois anos de investigação, a DHPP identificou os suspeitos e pediu pela prisão deles junto ao poder judiciário que expediu os mandos de prisão. Somente um dos suspeitos já estava no presídio cumprindo pena por outro homicídio. Os outros três foram capturados na região do 2º Distrito da capital.

Conforme o delegado responsável pelo caso, Cristiano Bastos, o inquérito investigativo foi concluído e a investigação colheu elementos de provas suficientes sobre o crime para que a prisão dos envolvidos pudesse ser realizada.

“Identificamos que três dias antes ele estava em uma festa ali na região e foi levado por três homens. E depois só se teve notícia quando foi encontrado o corpo. Durante a investigação, identificamos que a motivação do crime foi o fato de que pessoas de organização criminosa que atua naquele local achavam que ele estava levando informações para facção rival, pelo fato de ele ter pessoas conhecidas na outra facção. Então, foi decidido pela morte dele, chegaram ainda a chamá-lo para entrar nessa facção e ele não quis e então decidiram pela morte dele”, disse o delegado.

G1 ACRE

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas