Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

“QAnon Shaman” se declara culpado por crime em invasão no Capitólio dos EUA

_________________Publicidade_________________

Jacob Chansley, conhecido como “QAnon Shaman”, que invadiu o Capitólio dos Estados Unidos em uma roupa de pele de urso com chifres, em 6 de janeiro, confessou ser culpado na sexta-feira (3) pelo crime de obstruir os procedimentos do Colégio Eleitoral, durante uma audiência virtual no Tribunal Distrital de Washington.

A confissão de culpa foi feita como parte de um acordo com os promotores e foi aceita pelo juiz distrital Royce Lamberth. O réu do Arizona, é uma figura bem conhecida do movimento QAnon. Ele caminhou até a plataforma do Senado norte-americano que foi desocupada às pressas pelo ex-vice-presidente Mike Pence — alguém que Chansley falsamente alegou ser um “traidor do tráfico de crianças”.

O caso passou por muitas reviravoltas. Chansley fez greve de fome em fevereiro como parte de uma tentativa bem-sucedida de colocar alimentos orgânicos na prisão. Ele concedeu uma entrevista enquanto estava preso em março, que mais tarde foi repreendida pelo juiz de seu caso.

Seu advogado insultou pessoas com deficiência em maio, no que ele disse ser uma manobra para chamar a atenção para questões de saúde mental no sistema jurídico.

Chansley foi originalmente acusado em seis crimes federais. Ele se declarou culpado de uma das acusações mais graves e pode pegar até 20 anos de prisão, embora sua falta de ficha criminal signifique que ele provavelmente receberá muito menos.

Como parte do acordo de confissão, Chansley concordou em pagar US$ 2 mil (R$ 10,3 mil na atual cotação) em restituição pelos danos ao Capitólio. Ele também pode enfrentar uma multa de até US$ 250 mil (R$ 1,2 milhão).

Durante a audiência de confissão, o advogado de Chansley, pediu mais uma vez, que seu cliente fosse libertado antes da sentença. O Departamento de Justiça se opôs a esse pedido e Lamberth disse que emitirá uma decisão em breve. Quando for condenado, Chansley receberá crédito pelo tempo já cumprido na prisão.

A sentença foi marcada para 17 de novembro. Como parte do acordo judicial, os promotores concordaram em buscar uma punição entre três e quatro anos de prisão. Este é o mesmo potencial de prisão que outros manifestantes do Capitólio que se confessaram culpados de uma única acusação de crime estão enfrentando.

Ele está preso desde sua prisão em janeiro, e seu advogado defendeu sua libertação em algumas ocasiões. Mas o juiz que supervisiona o caso decidiu repetidamente que Chansley é muito perigoso para ser libertado – tornando Chansley parte de um pequeno grupo de manifestantes que não são acusados ​​de atacar ninguém naquele dia, mas foram detidos antes do julgamento por causa do potencial para o futuro violência.

O caso destacou como alguns apoiadores de Trump estão agora enfrentando consequências no mundo real por acreditar em teorias de conspiração fantásticas. O apoio de Chansley a QAnon inspirou sua presença no Capitol em 6 de janeiro, o que o levou à prisão pelos oito meses anteriores. Seu advogado agora diz que Chansley está “tentando se afastar e se distanciar do vórtice Q”.

Ataque ao Capitólio em 06 de janeiro de 2021
Ataque ao Capitólio em 06 de janeiro de 2021 / Foto: Shannon Stapleton/Reuters

Via-CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas