4 de julho de 2022   |   23:08  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Putin foi alvo de atentado frustrado, diz inteligência da Ucrânia

"Foi cerca de dois meses atrás. Não há publicidade sobre esse evento, mas aconteceu", revelou o chefe de Inteligência de Defesa da Ucrânia,

_________________Publicidade_________________

O chefe de Inteligência de Defesa da Ucrânia, Kyrylo Budanov, afirmou, nesta segunda-feira (23/5), que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, foi alvo de um atentado frustrado há dois meses. Segundo Budanov, o ataque ao russo teria ocorrido na região do Cáucaso, que inclui territórios de Armênia, Azerbaijão, Geórgia e partes do sul da Rússia. As informações são de O Globo.

“Ele foi até atacado na linha de, como dizem, representantes do Cáucaso, não muito tempo atrás. Esta é uma informação não pública. Tentativa absolutamente malsucedida, mas realmente aconteceu”, contou Budanov.

“Foi cerca de dois meses atrás. Mais uma vez, ele [agressor] não teve sucesso. Não há publicidade sobre esse evento, mas aconteceu”, completou o ucraniano, em entrevista ao canal de notícias Ukrayinska Pravda.

O trecho faz parte de uma entrevista dele ao canal e que será divulgada na íntegra nesta terça-feira (24/5). A tentativa de assassinato teria ocorrido nas primeiras semanas da invasão da Ucrânia pela Rússia, em fevereiro, enquanto o presidente russo estava em viagem.

Até o momento, o governo russo não comentou as informações do ucraniano.

Plano contra Zelensky

Em março deste ano, o grupo hacker Anonymous confirmou, pelo Twitter, a informação de que a Rússia havia elaborado um plano para assassinar o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky. De acordo com o grupo, a Ucrânia teria sido avisada sobre o ataque.

“Informações vazadas do Serviço Federal de Segurança da Rússia alertaram a Ucrânia sobre um plano de assassinato contra o presidente Zelensky. Agora, nós podemos esperar uma luta interna de poder no governo russo para derrubar o regime de Putin. Enquanto isso, vamos continuar com os ataques”, escreveu o grupo na rede social.

Por Metrópoles

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS