8 de agosto de 2022   |   00:00  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Processo de beatificação do padre Paolino começa neste sábado (21)

A programação inicia às 17 horas no auditório da Escola Messias Rodrigues de Souza, bairro Pista, em Sena Madureira, interior do Acre.

_________________Publicidade_________________

Após cinco anos da morte do padre Paolino Baldassari, será aberto neste sábado (21) o inquérito do processo de beatificação, que irá elevar oficialmente o sacerdote à condição de “Servo de Deus”.

Apesar de o ato ser considerado o primeiro passo oficial para a beatificação, a trajetória do sacerdote abriga uma longa história e o pedido também envolve uma série de estudos, pesquisas e análises. O aval do Vaticano para a abertura do caso ocorreu em 2019.

Padre Paolino Baldassari morreu aos 90 anos em 8 de abril de 2016, em Rio Branco. Ele pode ser o primeiro religioso da Amazônia a receber o título.

“É um processo bastante longo, iniciou há cinco praticamente, quando começamos a recolher informações e fazer a biografia do frei Paolino, que saiu depois o livro ‘O Prego e a Medalha’. Desde 2019, estamos nesse processo da abertura da beatificação em si, então temos algumas fases que precisam ser seguidas. E hoje [sábado,21], vamos fazer a abertura oficial do processo de beatificação. Esse é um primeiro passo para uma grande caminhada”, explicou o pároco de Sena Madureira e vice-postulador da causa, frei Moisés de Oliveira Coelho.

Ainda segundo o frei, a programação deste sábado conta com dois momentos, sendo o primeiro o ato jurídico e depois o ato religioso, onde a comunidade vai rezar, pela primeira vez, a oração do padre Paulino que foi elaborada pela comissão da causa e que é inspirada na vida do religioso.

“No ato jurídico, que é o que ocorre na escola, acontece o juramento dos oficiais da causa, que é o delegado episcopal, o promotor de Justiça e notário que vão fazer os juramentos para o bom andamento da causa. Essa é a sessão de abertura, depois outras virão, como a de escuta de testemunhas. Às 19h15 vamos ter a Santa Missa em ação de graças, na igreja matriz onde vamos lançar o santinho e, pela primeira vez, a comunidade vai rezar a oração pelo padre Paolino”, contou.

Oração pela beatificação e canonização do padre Paulino  — Foto: Arquivo

Oração pela beatificação e canonização do padre Paulino — Foto: Arquivo

Programação deste sábado

  • Canto da Ave Maria
  • Momento introdutório: breve vídeo sobre a vida do padre Paolino
  • Descrição de um inquérito diocesano: a caminhada feita e o que ainda falta para chegar a Fase romana da Causa e, se Deus quiser, à beatificação e canonização.
  • Leitura do Nulla osta por parte da Congregação da Causa dos Santos para a abertura do inquérito.
  • Leitura da Ata da primeira sessão: juramento do bispo, dos oficiais do tribunal instituído para o inquérito, do postulador e do vice postulador.
  • Benção do bispo
  • Canto da Salve Rainha

Busca por milagres

Os membros da Igreja Nossa Senhora da Conceição continuam em busca por pessoas que possam ter vivido algum milagre com ajuda do padre Paolino. Os milagres vão ajudar no processo de beatificação do padre.

Para ser declarado beato pela igreja, é necessário cumprir dois milagres, que a ciência, a comissão da causa e científica determinem que não teria outro modo daquilo acontecer se não fosse intervenção divina por meio da intercessão de uma pessoa, no caso, do padre Paolino Baldassari.

O frei Moisés contou que as buscas por pessoas que possam tem vivido ou presenciado algum milagre se estende pela zona rural e comunidades isoladas do município. “Ainda estamos à procura. Temos muitas graças já, agora milagre ainda não. A graça é, por exemplo, tinha uma dor de cabeça muito forte, rezei e a dor de cabeça passou. O milagre é algo que a ciência comprove que era impossível acontecer se não fosse por milagre”, pontuou.

Durante anos, padre Paolino viajou para aldeias indígenas e comunidades ribeirinhas no interior do estado para celebrar batismos, casamentos e outros tipos de cerimônias religiosas.

O velório do religioso atraiu centenas de pessoas para Sena Madureira. Alguns fiéis viajaram até 7 horas de barco para prestar homenagens. Em 2017, A Prefeitura de Sena Madureira instituiu o dia 8 de abril, data da morte do padre Paolino, como feriado municipal.

Processo

O processo de beatificação teve início quando o postulado da Ordem Servos de Maria, Frei Franco Azzali, esteve no Acre em 2019 para o lançamento da biografia do vigário: ‘O prego e a Medalha’.

Durante as etapas do processo, foi feita uma consulta à Santa Sé para saber se existia algo que pode desclassificar o candidato. Em janeiro deste ano, frei Moisés contou que recebeu uma carta confirmando que não foi achado nenhum argumento ou irregularidade que impedisse a abertura do processo de beatificação do padre.

Padre Paolino passou mais de 40 anos viajando pelo interior do Acre para atender comunidades ribeirinhas — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Padre Paolino passou mais de 40 anos viajando pelo interior do Acre para atender comunidades ribeirinhas — Foto: Reprodução

1º beato da Amazônia

Caso sejam comprovados os milagres e padre Paolino venha a ser declarado beato pela igreja, ele será o primeiro pároco da Amazônia a receber o título. Para frei Móises de Oliveira, isso seria a oficialização do sentimento das pessoas que conheceram e conviveram com o religioso.

“A grande importância da figura do frei Paolino como ser beato e depois ser considerado santo pela igreja é, claro, oficializar esse sentimento que já existe no povo, a proximidade de se ter alguém que possa interceder por todos nós, foi conhecido, que as pessoas conviveram e o mais importante ainda seria o 1º beato da região Amazônica”, diz.

Velório de padre Paolino recebeu centenas de pessoas em 2016 — Foto: Aline Nascimento/G1

Velório de padre Paolino recebeu centenas de pessoas em 2016 — Foto: Aline Nascimento

Quem foi padre Paolino?

Nascido na cidade italiana de Bologna, o padre Paolino Baldassari foi o pároco da cidade de Sena Madureira, no Acre, durante aproximadamente 46 anos. Ele era considerado um símbolo no município por causa de seu trabalho com comunidades tradicionais.

Baldassari morreu após 11 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). O pároco teve uma parada cardíaca e em seguida sofreu falência de outros órgãos, por volta das 14h do dia 8 de abril de 2016.

O padre chegou a completar 90 anos, no dia 2 de abril daquele ano, enquanto estava internado no hospital. Durante todo o tempo de internação a comunidade manteve correntes de orações pela saúde do padre e realizou vigílias no hospital.

Mesmo após sua morte, padre Paolino inspirou as pessoas a fazerem o bem. Em homenagem ao pároco, uma creche que leva o nome do religioso foi inaugurada no Bairro da Pista, em Sena Madureira.

A partida do religioso deixou órfãos, não apenas aqueles que o procuravam por conforto religioso, mas também as comunidades carentes na zona rural do município, a quem ele prestava atendimento médico. Para suprir essa necessidade, um grupo de médicos, enfermeiros e estudantes de medicina resolveu se voluntariar para continuar o trabalho do religioso.

Por G1 Acre

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS