Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Prevent Senior recomendou tratamento paliativo para paciente com Covid-19 que não estava em estado terminal, indicam documentos

_________________Publicidade_________________

Familiares de um paciente da Prevent Senior que teve Covid-19 acusam a operadora de recomendar a adoção de tratamento paliativo, que deveria ser oferecido apenas para pacientes incuráveis, para o advogado Tadeu Frederico de Andrade, de 65 anos, quando ele não estava em estado terminal.

Recuperado, Tadeu encaminhou na última sexta-feira (24) uma denúncia ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP). Entre os documentos enviados está um prontuário médico no qual uma médica da operadora orienta a suspensão de uma série de procedimentos, como medicação intravenosa e hemodiálise, e também pede que o paciente não seja submetido a manobra para reanimação cardiorrespiratória. Os familiares afirmam que o tratamento paliativo e a suspensão de cuidados por pouco foram não adotados sem sua concordância.

Trecho do prontuário que suspende os medicamentos e tratamentos do paciente — Foto: Reprodução

Trecho do prontuário que suspende os medicamentos e tratamentos do paciente — Foto: Reprodução

Em entrevista à GloboNews, o paciente declarou que está totalmente recuperado, trabalhando e até dirigindo, “graças à Deus e graças à minha família que lutou por mim.”

“Mas me entristece muito saber que muitas vidas se foram por um cálculo meramente financeiro da Prevent Senior”, afirma Tadeu Frederico de Andrade.

O advogado ficou 120 dias internado em um hospital da rede em São Paulo após contrair coronavírus e receber da operadora o chamado kit Covid, um conjunto de remédios que inclui medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19.

Em nota, a Prevent Senior disse que a operadora não toma decisões com base em custos e que, no caso em questão, a empresa deu todo suporte ao paciente, acatando a vontade dos familiares.

Em meio à CPI da Covid-19 no Senado, o senador Otto Alencar declarou nesta segunda (27) que a comissão tem provas de que a operadora realizava “eutanásia disfarçada” em casos como os do paciente Tadeu de Andrade. A denúncia do paciente também foi encaminhada à CPI.

Otto Alencar: CPI tem provas de que Prevent Senior fez 'eutanásia disfarçada'

Otto Alencar: CPI tem provas de que Prevent Senior fez ‘eutanásia disfarçada’

Diretor confirma na CPI que Prevent mudava ficha de pacientes para retirar registro de Covid

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas