Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Preso monitorado é executado a tiros em Brasileia e polícia descobre que ele tinha comprado caixão após ameaças

_________________Publicidade_________________

O preso monitorado Romário da Silva Cunha, de 37 anos, foi morto a tiros na frente da esposa na noite dessa quarta-feira (26), no bairro Leonardo Barbosa, na cidade de Brasileia, interior do Acre.

Conforme a polícia, ele estava com a mulher na frente de casa quando dois homens se aproximaram e efetuaram vários disparos em direção à Cunha. Ele então correu para dentro do imóvel e caiu ao lado da cama já sem vida.

Após os disparos, os dois homens fugiram do local. A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência e ao chegar no local foi informada de que a vítima estava sendo ameaçada de morte e que o crime ocorreu devido à rivalidade entre duas facções criminosas que atuam na região.

Crime ocorreu na noite dessa quarta-feira (26) em Brasileia — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

Crime ocorreu na noite dessa quarta-feira (26) em Brasileia — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

Por conta das ameaças que vinha sofrendo e prevendo possível tragédia, a vítima já teria, inclusive, comprado um caixão. A delegada da cidade, Carla Ívane, afirmou que as investigações estão em andamento no sentido de identificar os autores e que, ao que tudo indica, se trata de mais um crime ligado à guerra entre facções.

“O que sabemos é que ele era monitorado do sistema. O território onde ele foi morto é de uma outra organização criminosa diferente da que ele tinha ligações e foi uma execução. Após os disparos contra a vítima, a dupla saiu gritando palavras de ordem da facção e dando outros disparos pela rua. Quando o pessoal [da polícia] estava fazendo os procedimentos já na delegacia, chegou uma pessoa de uma funerária e deu a informação de que ele tinha ido na semana passada e começado a pagar o caixão dele”, afirmou a delegada.

Os policiais ainda fizeram buscas na região, mas ninguém foi preso até a manhã desta quinta-feira (27). A informação é de que os autores fugiram para a Bolívia, país vizinho. O local foi isolado para o trabalho da perícia e o corpo da vítima foi removido e levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Rio Branco para os devidos procedimentos.

Por: G1 ACRE

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas