Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Polícia investiga morte de recém-nascida após mãe amamentar bebê e pai achar corpo de filha na cama, em Rio Branco

_________________Publicidade_________________

Uma bebê recém-nascida foi achada morta pelo próprio pai na madrugada desta segunda-feira (29). O homem foi olhar a criança após a mãe amamentar a bebê e achou a criança sem vida. O caso ocorreu no bairro Jorge Lavocat, em Rio Branco. Ao saber da morte da filha, a mulher correu desesperada e sumiu.

Até a tarde desta segunda, a mulher não teria sido achada pela polícia. O companheiro dela e pai da criança falou para a polícia que a mulher é usuária de drogas. A criança tinha três semanas de vida.

O homem ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) pedindo socorro e dizendo que tinha encontrado a filha sem vida na cama. No registro da ocorrência, o pai falou que a companheira tinha amamentado a criança por volta das 3h30 e ele foi dormir. Ao levantar, por volta das 5h, o homem foi olhar a criança e ela estava morta.

Equipes do Instituto Médico Legal (IML), Polícia Militar (PM-AC) e da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também foram acionadas. O corpo da bebê foi levado para o IML para exames cadavéricos.

A investigação do caso vai ser coordenada pela Delegacia da 5ª Regional da Polícia Civil. O delegado José Adonias disse que aguarda o procedimento da DHPP para tomar ciência de todas as informações sobre o caso.

“Não sabemos ainda se foi uma morte acidental ou tem algum crime relacionado. Estamos aguardando essas informações chegarem. Temos algumas informações, os investigadores foram lá, mas precisamos do laudo para poder saber o que houve”, destacou.

Mãe é procurada

Ainda segundo o delegado, os relatos coletados apontam que a mãe da criança tinha usado drogas na mesma noite. A polícia descobriu também que outra filha da mulher teria morrido em uma situação semelhante.

“Tudo vai depender do laudo, temos algumas informações, inclusive, que é a segunda morte parecida de filho dela. Mas, não podemos afirmar nada nesse momento. Ela [mãe] não é suspeita, não podemos tratá-la assim. Temos algumas informações, mas aguardamos o laudo”, reforçou.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas