Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Polícia Civil de SP fecha balada na Avenida Brigadeiro Faria Lima com mais de 600 pessoas; maioria não usava máscara de proteção

Plano São Paulo de flexibilização não autoriza o funcionamento de casas noturnas. Desrespeito ao uso de máscara de proteção e aglomerações aumentam o risco de contrair Covid-19. Cassino irregular com 50 pessoas também foi fechado pela polícia em Barueri, na Grande SP.

_________________Publicidade_________________

A Polícia Civil fechou uma balada na Avenida Brigadeiro Faria Lima, na Zona Oeste da capital paulista, na madrugada de domingo (30).

De acordo com a polícia, cerca de 700 pessoas estavam no local. A maioria não usava máscara de proteção quando os policiais chegaram e estavam aglomeradas, o que aumenta o risco de disseminar e contrair Covid-19.

Um grupo musical, que se apresentava no estabelecimento, também foi abordado. Quatro funcionários do local foram conduzidos ao distrito policial e autuados por infração de medida sanitária preventiva.

Foram apreendidos: dois processadores de som, uma mesa de som, uma mesa de luz, um notebook e cinco máquinas de débito e crédito.

Vigilância sanitária e polícia civil e militar encerram festas na capital paulista

Vigilância sanitária e polícia civil e militar encerram festas na capital paulista.

Os agentes do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) também encontraram uma festa da Bela Vista, região central da capital, na madrugada deste domingo (30). No local havia cerca de 200 pessoas, sendo que 91 pessoas estava sem máscara também.

Três funcionários do local foram encaminhados ao distrito policial, onde foram autuados por infração de medida sanitária preventiva.

Foram apreendidas duas mesas controladoras de som e duas máquinas de crédito e débito. As informações são da Vigilância Sanitária estadual. Os dois locais foram interditados pela Vigilância.

As ações foram feitas pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos (Garra), do Departamento de Operações Especiais de Polícia (Dope), em apoio ao Comitê de Blitz, criado pelo governo de São Paulo para reforçar a fiscalização do cumprimento das medidas restritivas contra a pandemia.

O Plano São Paulo de flexibilização não autoriza o funcionamento de casas noturnas.

Por lei, a pessoa que for vista sem máscara em espaços públicos e particulares de uso comum deve ser multada em R$ 524. Já os estabelecimentos comercias pagam R$ 5.025 para cada pessoa que estiver no local sem a proteção. Há ainda a previsão de uma multa de R$ 1.380,50 se o estabelecimento não afixar placas que informam sobre a obrigatoriedade da máscara.

Foi solicitada perícia para os dois locais. Os casos foram registrados pela 2º Delegacia da Divisão de Investigações sobre Crimes contra a Fazenda (Disccfaz), do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC).

Cassino em Barueri

A Polícia Civil também localizou na noite deste sábado (29) um cassino funcionando de forma irregular na Avenida Alphaville, em Barueri, na Grande SP.

No local, os agentes encontraram cerca de 50 pessoas consumindo bebidas alcóolicas, além de maletas e pen-drives utilizados para a prática de poker.

O espaço possuía autorização municipal, mas estava funcionando de forma irregular, após o horário limite estipulado pelo ‘Plano São Paulo’, segundo a polícia.

O estabelecimento foi autuado pela Guarda Civil Municipal e a ocorrência foi registrada como prática de jogos de azar pela Delegacia de Barueri, que apura as responsabilidades.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas