Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Pesquisa mostra que 8 crianças morrem por dia no Brasil por causa de acidentes

_________________Publicidade_________________

Quando se trata de criança, toda atenção ainda é pouca. Segundo dados do Datasus, do Ministério da Saúde, os acidentes são as principais causas de mortes de crianças de 1 a 14 anos.

Pesquisa divulgada hoje pela ONG Aldeias Infantis SOS Brasil mostra que diariamente 8 vidas são perdidas, e 288 crianças são internadas por causas acidentais no Brasil.

O cenário provocado pela pandemia da Covid-19, no entanto, surpreendeu os especialistas que trabalham com o tema. Isso porque em comparação aos anos anteriores, em 2020 houve uma redução de 7% no número de internações.

Apesar disso, alguns casos específicos como intoxicação, afogamento e sufocação, cresceram. Em relação aos óbitos, o número reduziu 4,6% em 2019.

“É um grande impacto na vida das famílias, levando-se em conta, principalmente, que a maioria dos acidentes poderia ser evitada com medidas de proteção e maior prevenção”, afirma a coordenadora geral do Instituto Bem Cuidar, Erika Tonelli.

Desde 1967 no cuidado de crianças, jovens e adolescentes, a Aldeias Infantis SOS Brasil, que recebeu a transferência do legado da ONG Criança Segura, traz dados e conhecimentos fornecidos pelo Instituto Bem Cuidar.

Acidentes na pandemia

Entre janeiro e dezembro de 2020, 105.060 crianças de até 14 anos foram hospitalizadas em decorrência de acidentes.

Entre as principais causas de internação estão

  • queda (44%)
  • queimadura (19%)
  • trânsito (10%)

Todas essas apresentaram diminuição quando comparadas a 2019. Na contramão, os casos de intoxicação, afogamento e sufocação cresceram 8%, 7% e 6%, respectivamente.

Erika Tonelli aponta que o fato dos números não terem disparado é algo a se destacar, já que as crianças passaram a ficar mais em casa, expostas aos perigos domésticos como a cozinha, ambiente bastante perigoso. Segundo ela, informações sobre segurança e proteção das crianças contribuíram para a diminuição dos números.

Isso não deve ser justificativa para diminuir a atenção com as crianças, principalmente em relação aos acidentes que registraram alta; e, pelo contrário, a proteção e a prevenção devem ser prioridades”.(E.T.)

Quais são os principais acidentes?

Confira abaixo a lista detalhada com base nos dados disponibilizados pelo Datasus/ONG Criança Segura 2019 e 2020 e a Análise Criança Segura 2021.Internações (por ordem):

  1. Queda –  44%
  2. Queimadura – 19%
  3. Trânsito – 10%
  4. Intoxicação – 4%
  5. Sufocação – 1%
  6. Afogamento – 0,2%
  7. Armas de fogo –  0,07%

Comparativo:Em comparação ao ano de 2019, em 2020 as quedas diminuíram 12%;  queimaduras 5%; trânsito 2% e armas de fogo 2%. E houve aumento dos seguintes números de internações: intoxicação (8%); sufocação (6%); afogamento aumentou (7%).

Mortes infantis por acidentes

O trânsito continua sendo a principal causa acidental de morte, representando 29% do total, seguido por afogamento (26%) e sufocação (25%).

Comparando com 2018, o número de óbitos por acidentes recuou 4,6%, sendo que as maiores reduções registradas foram nos casos de intoxicação (-32,2%), armas de fogo (-15,8%), queimadura (-10,5%) e trânsito (-9,2%).

Os dois tipos de acidentes que aumentaram no período foram queda (+1,9%), depois de uma redução de 15,5% entre 2017 e 2018, e sufocação (+1,3%), pelo segundo ano consecutivo (+1,8% em 2018).

Quando se trata de faixa etária, o período da Primeira Infância (do 0 aos 4 anos) concentra a maior taxa de mortalidade por acidentes (54%).

Via – UOL

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas