Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Pelo segundo dia, unidades de saúde de Rio Branco ficam sem médicos devido à greve

_________________Publicidade_________________

A greve dos médicos em Rio Branco se estende pelo segundo dia consecutivo e alguns pacientes tiveram que voltar para casa sem atendimento. A paralisação foi deflagrada na segunda-feira (8) e os médicos pedem reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR).

Aurelice Pereira foi até uma unidade de saúde tentar marcar a consulta para a mãe, mas não conseguiu.

“Não tem médico, agora é ir pra casa. A consulta era pra minha mãe que é hipertensa. Semana passada não informaram nada, cheguei aqui e não tem médico. Agora tenho que esperar quando vai ter médico para voltar de novo”, reclamou.

A dona de casa Maria Albuquerque diz que esse tipo de paralisação acaba afetando principalmente os pacientes que precisam do serviço.

“Exatamente por isso, cheguei às 6h30 com medo de não conseguir uma ficha para agendar minha consulta. Prejudica muito porque as pessoas vêm de longe e não são atendidas”. disse.

Greve

Reivindicando reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR), os médicos que trabalham para a prefeitura de Rio Branco entraram em greve nesta segunda-feira (8) e, pelo menos, 15 unidades de saúde devem ser afetadas com a paralisação. A greve, segundo a categoria, deve durar por 30 dias.

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) informou que nas unidades atendidas pelo programa Mais Médicos essa paralisação não deve ocorrer.

O presidente do Sindmed-AC, Guilherme Pulici, explicou que desde julho a categoria tenta uma negociação com a prefeitura de Rio Branco, mas não teve um retorno efetivo da proposta apresentada.

“A principal reivindicação é a reformulação do plano de carreira, cargo e remuneração e com o reajuste do salário base, que parte de R$ 1,8 mil e não há reajuste nos últimos seis anos, estando defasado, corroído não só pela inflação mas defasado com relação a outras carreiras médicas do país, mas não houve contraproposta do que foi apresentado em julho, não tem nada oficial”, destaca.

Reivindicando reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR), os médicos que trabalham para a prefeitura de Rio Branco entraram em greve nesta segunda-feira (8)  — Foto: Ana Paula Xavier/Rede Amazônica Acre

Reivindicando reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR), os médicos que trabalham para a prefeitura de Rio Branco entraram em greve nesta segunda-feira (8) — Foto: Ana Paula Xavier/Rede Amazônica Acre

Prefeitura se manifesta

Em coletiva na manhã desta segunda, Jonathan Santiago, secretário de Gestão Administrativa de Rio Branco, disse que a greve é ilegal e inoportuna.

“Já estamos fazendo esse levantamento, várias secretarias têm requerimentos, não só os médicos, para fazer um estudo técnico para verificar o impacto na folha, não pode ser feito de forma aleatória. Categorias profissionais terão suas promoções no ano que vem, tudo isso tem impacto na folha e o compromisso da gestão é até o final de 2021 é encaminhar à Câmara de Vereadores os reajustes da categoria. Vai ser um reajuste linear atingindo todos os servidores de maneira igualitária. É isso que será feito baseado nos estudos”, garantiu.

Por G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas