Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Paralisação afetará ‘principalmente’ Santos (SP), dizem caminhoneiros

_________________Publicidade_________________

Depois de declararem “estado de greve” no sábado (16), representantes de caminhoneiros afirmam que uma eventual paralisação ocorrerá “principalmente” em Santos (SP). “Se não houver resposta concreta [do governo] em cima dos direitos dos caminhoneiros autônomos, no dia 1º de novembro o Brasil todo [ficará] parado, principalmente Santos”, disse Luciano Santos, presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam).

No fim de julho, transportadores da região interromperam as atividades durante um dia, sem impactos sobre a operação do porto de Santos. De acordo com representantes dos transportadores rodoviários, a categoria vai iniciar paralisação nacional em 1º de novembro, caso o governo federal não atenda às reivindicações do setor em 15 dias, contabilizados a partir de ontem.

“Tem de haver resposta concreta para o caminhoneiro. A resposta está nas mãos do governo”, disse o presidente do Sindicam no vídeo. A decisão foi tomada ontem, durante assembleia, no 2º Encontro Nacional dos Caminhoneiros Autônomos e Celetistas, realizado no Rio de Janeiro.

“Estado de greve significa dizer ao governo Bolsonaro que o prazo de três anos que ele teve para desenvolver e melhorar a vida do transportador autônomo não foi cumprido. Serão dados mais 15 dias para que a pauta de reivindicações seja aplicada para os caminhoneiros”, afirmou também em discurso no evento o diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL), Carlos Alberto Litti Dahmer.

No pronunciamento, Litti disse que a pauta da categoria já é de conhecimento do ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e do governo Bolsonaro “há muito tempo”. “A categoria passa por momento de dificuldade nunca visto em três anos de desgoverno Bolsonaro. É esse chamamento que tem respaldo de 1 milhão de trabalhadores e da sociedade, que virá conosco”, afirmou Litti.

Via-R7

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas