Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Pai de vítima de desabamento diz que construiu prédio para família

_________________Publicidade_________________

Em depoimento, Genivan Gomes Macedo, pai de Natan Gomes, morto em desabamento, disse que construção não tinha escritura.

Genivan Gomes Macedo, 57 anos, foi o responsável por construir o prédio que desabou na quinta-feira (3) em Rio das Pedras, comunidade da zona oeste do Rio. Ele prestou depoimento ontem à noite na 16ª DP (Barra da Tijuca) e afirmou construiu a edificação para que sua família tivesse onde morar.

Segundo seu depoimento, o prédio foi construído sem planta e sem profissionais qualificados. Além disso, a obra não tinha escritura.

Genivan é pai de Natan Gomes de Souza, de 30 anos, e avô de Maitê, de 2 anos, que morreram na tragédia. A mãe da menina, Kiara Abreu, de 26 anos, foi resgatada e está internada em estado grave. Sua outra filha, Nathaniela de Souza Gomes, de 28 anos, também está internada com quadro estável.

Além deles, também foram resgatados Jonas Rodrigues de Souza, de 29 anos, marido de Nathaniela, e Antonia de Souza, ex-mulher de Genivan, de 38 anos. Ambos foram atendidos no Hospital Lourenço Jorge e liberados em seguida.

De acordo com Genivan, o terreno foi comprado há cerca de 25 anos, e na época havia apenas um barraco de madeira, mas que foi construindo aos poucos, conforme ia conseguindo dinheiro.

Ao final da obra, o prédio ficou com quatro andares. No térreo, funcionava a lan house de Natan, que morava no primeiro andar com a filha e a esposa. O segundo andar estava vazio, sem acabamento, com tijolo aparente.

Nathaniela e Jonas moravam no terceiro andar e Antonia ocupava o quarto andar com a filha Tatiana, que teve em outro casamento. Após a separação, Genivan afirmou que Antonia ficou responsável pelo prédio, mas que não ocorreram mais obras no local.

Há 15 dias, ele disse que a filha contou que uma janela do terceiro andar havia estourado, mas que ela achou que poderia ter sido uma pedra atirada por alguém. Ele negou ter conhecimento de algum problema estrutural no local.

O prédio sempre foi ocupados por familiares, segundo o depoimento, e nunca foi alugado para outras pessoas.

Via – Notícias da Hora

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas