10 de agosto de 2022   |   12:06  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Paciente cirurgiada passa mais de 15 horas em corredor do PS por falta de leito

Após a cirurgia, a família relata que Adriana simplesmente foi colocada nos corredores do PS.

_________________Publicidade_________________

Adriana Pires de Souza, 37 anos, passou por uma cirurgia de emergência na tarde desta sexta-feira, 1, no pronto-socorro de Rio Branco. Após desmaiar com muitas dores na recepção da unidade de saúde, os médicos descobriram um problema no fígado que estava causando hemorragia.

Após a cirurgia, a família relata que Adriana simplesmente foi colocada nos corredores do PS. O problema ainda mais grave relatado pelos familiares é que Adriana ficou à noite toda no corredor da unidade e só foi levada para um leito de enfermaria após às 9 horas deste sábado, 2. Ou seja, a paciente, mesmo cirurgiada, passou mais de 15 horas no corredor. “Isso é um absurdo. Não falaram nada pra gente, apenas disseram que não tinha vaga. Eu tenho certeza que o corredor de um hospital não é um lugar adequado para ficar uma pessoa que acabou de fazer uma cirurgia. Minha mãe só foi levada para um leito depois que vocês entraram em contato com a direção do hospital”, afirma Tiago Pires, filho de Adriana.

A reportagem assim que recebeu a denúncia, entrou em contato com a direção do PS. A diretora da unidade, Dora Vitorino, afirmou que há uma superlotação na unidade por conta dos casos de Síndrome Respiratória, mas que havia determinado que a paciente fosse colocada em uma enfermaria destinada à receber crianças, mas que estava vazia e poderia receber Adriana. “Nós vamos levantar o motivo dessa paciente não ter sido levada o mais rápido possível para um leito. O mais importante é que já conseguimos remover a paciente para um leito de enfermaria”, explica.

Com informações Ac24Horas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS