Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

OPERAÇÃO PRATOS LIMPOS CUMPRIU 6 MANDADOS DE PRISÃO E BLOQUEOU 332 MIL REAIS EM 10 CONTAS BANCÁRIAS

Os mandados foram cumpridos em Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Fortaleza/CE. A investigação policial, que iniciou há mais de dez meses (maio/2020), teve por objetivo apurar crimes licitatórios e lavagem de dinheiro cometidos no processo de dispensa de licitação para compra de 41.980 cestas básicas para atender aos estudantes da rede pública estadual de ensino que estavam afastados das salas de aula em face da pandemia do COVID-19.

Nas primeiras horas desta sexta-feira, 12, a Polícia Civil do Estado Acre, por meio da Delegacia de Combate à Corrupção (DECCOR) deflagrou a operação “Pratos Limpos” que investiga crimes na aquisição de cestas básicas pela Secretária de Estado de Educação, Esporte e Cultura – SEE.

A investigação policial, que iniciou há mais de dez meses (maio/2020), teve por objetivo apurar crimes licitatórios e lavagem de dinheiro cometidos no processo de dispensa de licitação para compra de 41.980 cestas básicas para atender aos estudantes da rede pública estadual de ensino que estavam afastados das salas de aula em face da pandemia do COVID-19.

A operação contou com mais de cento e quarenta policiais e oito delegados da capital e do interior e deu cumprimento a vinte mandados de busca e apreensão, seis mandados de prisão, tendo como alvos servidores públicos e empresários, além de sequestro de nove veículos e bloqueio em dez contas bancárias no valor total de R$ 332.000,00.

Para o delegado geral de Policia Civil , Josemar Portes, esclareceu que toda ação de Polícia Civil está dentro da legalidade e age com total independência investigativa.

“A Delegacia de Combate à Corrupção (DECCOR) foi criada nessa gestão o que demonstra, por parte do Governador Gladson Cameli, um ato de ousadia. A Policia Civil do estado do Acre tem total independência investigativa e todos os envolvidos no cometimento de crimes serão responsabilizados”, frisou Josemar Portes.

O delegado que preside o inquérito policial, Pedro Resende, ressaltou o trabalho investigativo que durou cerca de dez meses. “O trabalho investigativo foi de fundamental importância para que hoje pudéssemos prender seis pessoas envolvidas nesse processo licitatório e cumprir 20 mandados de busca e apreensão logrando êxito na apreensão de bens, bloqueio de contas bancarias e o sequestro de nove veículos de luxo. Todo material documental será analisado e o processo investigativo vai continuar”, declarou Pedro Resende.

Frisa-se o relevante e imprescindível apoio da DECCOR da Polícia Civil do Ceará, que logrou êxito em cumprir um mandado de prisão em Fortaleza/CE. Os mandados foram cumpridos em Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Fortaleza/CE.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas