Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Operação Fake Bois apreende quase mil cabeças de gado e bloqueia cerca de 3 mi de reais em ação conjunta de três estados

_________________Publicidade_________________

Nas primeiras horas desta terça-feira, 18, a Policia Civil do Acre por meio do Grupo de Enfrentamento aos Crimes Contra a Ordem Tributária (Gecot) em ação conjunta com o Instituto de Defesa Animal e Florestal do Acre (IDAF), Secretaria Estadual de Fazenda (SEFAZ/AC), Policia Civil de Rondônia (PC/RO), Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (IDARON/RO), Policia Civil de Goiás (PC/GO), Secretaria de Economia/GO, Agrodefesa/GO e Agencia de Defesa Animal e Florestal do Amazonas (IDAF/AM) deflagrou a quarta fase da Operação Fake Bois, denominada “Na Mexida do Boi”.

Nesta fase da operação, em ação conjunta dos órgãos supracitados, foi possível aprofundar o viés financeiro das investigações e identificar inclusive o crime de lavagem de dinheiro protagonizado pela organização criminosa que atuava nos estados do Acre, Rondônia, Amazonas e Goiás, inclusive contando com auxílio de servidores públicos que contribuíam para cometimento dos delitos investigados.

A operação policial que contou com mais de cinquenta policiais e sete delegados do Acre, Amazonas, Rondônia e Goiás deu cumprimento a sete mandados de busca e apreensão, cinco mandados de prisão, sequestro de três veículos, apreensão de 950 bovinos e ainda bloqueio em cinco contas bancárias no valor total de R$ 2.966.526,20 (Dois milhões novecentos e sessenta e seis mil quinhentos e vinte e seis reais e vinte centavos).

Das 950 cabeças de gado apreendidas, 175 delas foram sequestradas no Amazonas, 657 no Acre e 118 em Goiás. De acordo com o Diretor Administrativo Tributário da Secretaria da Fazenda Estadual (SEFAZ/AC), Clovis Monteiro Gomes, a sonegação fiscal gira em torno de 6.000.000,00 (seis milhões de reais), além do sequestro de três veículos que eram usados pelo grupo criminoso.

A operação exitosa teve seis meses de investigação o que possibilitou desmantelar um grupo criminoso que retirava rebanho bovino do estado sem o devido recolhimento de tributário que, por sua vez, seria reinvestido nas áreas de educação, saúde e na própria segurança pública.

Para o Delegado-Geral de Policia Civil Josemar Moreira Portes, a operação foi exitosa sobretudo na proteção do erário publico.
“O Gecot foi criado ao final do ano passado pela Policia Civil para o enfrentamento e responsabilização daqueles que atentam contra o erário público no tocante aos tributos e a legislação tributária. Estamos em franca atuação, encerramos mais uma ação exitosa e nesse contexto a Policia Civil tende a ganhar maior envergadura no enfrentamento a esse tipo de criminalidade para assim proteger o erário publico e a tributação estadual e municipal”, destacou o Delegado-Geral Josemar Portes.

Para o delegado Pedro Resende, coordenador do GECOT, a ação terá desdobramentos. “Nós encerramos mais uma fase da operação “Fake Bois” e dentro dessa investigação teremos mais ações da Policia Civil do Acre em parceria com os órgão de controle sanit´rio e fiscal dos demais estados”, finalizou Pedro Resende.

Durante o cumprimento dos mandados foi possível capturar três servidores públicos envolvidos em crimes de corrução no Acre, um pessoa presa em Jataí/GO e um em Nova Mamoré/RO.

O nome da operação, que é um desdobramento da primeira fase da operação “Fake Bois” faz referência ao costume dos integrantes da organização se comunicar sempre com os aludidos dizeres “na mexida do boi” em referência à modalidade de atuação dos criminosos.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas