Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Operação da PF cumpre mandados contra grupo criminoso por desmatar 90 hectares em área da União no AC

Dano econômico à União e ao meio ambiente causado pelo grupo criminoso que atuava na grilagem de terras foi calculado por meio de laudo pericial e estimado em mais de R$3,8 milhões.

_________________Publicidade_________________

Uma operação da Polícia Federal, desencadeada na manhã desta quarta-feira (25), cumpriu sete mandados de busca e apreensão em imóveis vinculados a um grupo que atua na grilagem de terras públicas dentro do Assentamento Agroextrativista Santa Quitéria, no município de Assis Brasil, no interior do Acre.

Além dos mandados de busca, também foram cumpridos oito mandados de sequestro de bens, como imóveis, veículos, joias e animais. A operação recebeu o nome de ‘Boi Bandido’. Mais informações da operação devem ser datas em uma coletiva ainda nesta manhã.

O objetivo é descapitalizar os envolvidos que atuam em esquema criminoso envolvendo a grilagem de terras na região. De acordo com a PF, os investigados atuam na ocupação e desmatamento de área pública federal para implantação de fazendas e latifúndios usados na criação de gado.

Ainda conforme a PF, houve um desmatamento no local de pelo menos 90 hectares de mata. O grupo agia por meio de laranjas para conseguir o registro no Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf).

O dano econômico à União e ao meio ambiente causado pelo grupo criminoso foi calculado por meio de laudo pericial e estimado em mais de R$3,8 milhões. Os responsáveis devem responder pelos crimes de desmatamento de floresta nativa e invasão de terra pública.

A PF informou ainda que um dos investigados já esteve envolvido, em 2019, na Operação Ojuara e confessou, na época, a invasão e desmatamento de área de 5 mil hectares de terras.

Em 2019, 18 pessoas foram presas e encaminhadas para a sede da PF que investigava também a prática de crimes ambientais cometidos por alguns servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), policiais militares e fazendeiros.

Por G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas