18 de maio de 2022   |   17:06  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Novos casos de monilíase mobilizam medidas de contingência em Cruzeiro do Sul

Nos frutos doentes são formadas manchas achocolatadas que mais tarde formam um pó creme que possui milhões de poros do fungo.

_________________Publicidade_________________

A monilíase é uma doença do cacau e do cupuaçu causada por um fungo que ataca diretamente o fruto em qualquer fase do seu desenvolvimento. Uma vez instalada nas plantações, causa grande perdas econômicas, pois pode comprometer até 100% da produção.

Os países vizinhos, como por exemplo Colômbia, Peru e Equador já possuem essa doença. Mas, no Brasil, ainda não existiam relatos sobre tal. Cruzeiro do Sul é o primeiro foco desse fungo no estado. À partir dessa manifestação no bairro da Cohab, o Instituto de Defesa Agropecuária (IDAF) com Ministério da Agricultura começou a fazer o monitoramento do entorno da região, e foi encontrado um segundo foco no bairro São José, em Cruzeiro do Sul.

“Nas duas localidades foram feitas as ações na época de poda da plantas. Até o momento não existe nenhum produto no Brasil registrado para conter essa doença, que é causada por um fungo. Esse fungo causa prejuízos diretamente aos frutos”, ressaltou Maísa Bravin, engenheira agrônoma.

Nos frutos doentes são formadas manchas achocolatadas que mais tarde formam um pó creme que possui milhões de poros do fungo.

Diante das ocorrências foram reforçadas as medidas de contingenciamento para o bloqueio da disseminação da monilíase no território brasileiro. É um decreto que não permite a saída de frutos como cacau e cupuaçu da região do Juruá. As frutas estão proibidas, porém não as polpas congeladas.

Redação Juruá Online

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS

AS ÚLTIMAS

top 10 mais lidas