Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Nove são presos por roubo de gados e falsificação de guias em Feijó

_________________Publicidade_________________

Das nove pessoas presas, duas delas agiam como “cobaia” no esquema de roubo de gado.

Na manhã desta terça-feira, 06, a Polícia Civil do Acre, por meio da Delegacia Geral no município de Feijó em parceria com o Instituto de Defesa Animal e Florestal (IDAF) , deflagrou a primeira fase da “Operação Falsa Guia” e prendeu nove pessoas envolvidas em roubo de gado com uso de Guia de Transporte de Animais (GTA).

Durante a ação policial foi dado cumprimento a 9 ordens judiciais sendo 6 mandados de prisão e 3 de busca e apreensão, expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Feijó, foi possível prender S. A. A. L.; F. B. L. da S.; P. M. da S.; W. da S. O.; S. S. D.; A. A. G.; A. F. F.; E. M. N.; G. M. F; e apreender vasto material documental que comprovaram a efetividade dos investigados nos crimes de roubo de gado, uso de documento falso, falsificação de documento publico, declaração de dados falsos, e fraude contra administração pública.

Todos os presos foram conduzidos à Delegacia Geral do município para prestarem depoimentos e em seguidas colocados à disposição da justiça.

A investigação policial teve inicio em janeiro de 2021, com mais de 90 dias de trabalho dos investigadores e colaboração do Instituto de Defesa Animal e Florestal (IDAF) em detectar irregularidades em Guias de Transporte de Animais (GTA). Durante a ação policial foi possível recuperar 12 cabeças de gado que foram identificadas pelo real proprietário através de marca a fogo.

O crime se consolidava quando o gado era roubado e transportado para fazendas previamente agendadas para receber as cabeças de gado que haviam sido furtadas pelos criminosos que “esquentavam” o rebanho com a falsificação das GTA’S.

Das nove pessoas presas, duas delas agiam como “laranja” no esquema de roubo de gado, dando cobertura e fazendo declarações de aquisição de rebanho falsas; o que possibilitava a retirada de GTA’S o que por sua vez era usada no transporte dos animais.

De acordo com o Delegado Railson Ferreira que preside o inquérito policial, a ação criminosa gerou prejuízos à arrecadação de impostos e possibilitou o transporte de animais sem o devido controle sanitário e possível transporte de carga viva de origem duvidosa.

Juruá Online / POR ASCOM POLÍCIA CIVIL

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas