Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

No interior do Acre, assassino agia igual ao ‘serial killer’ de Goiás

_________________Publicidade_________________

Um criminoso que utilizava as mesmas táticas do foragido Lázaro Barbosa, o homem que há mais de dez dias assusta o interior de Goiás e áreas rurais no entorno do Distrito Federal, acaba de chegar à “Penitenciária Francisco D’Oliveira Conde”, em Rio Branco. Ele foi preso na região do Alto Acre, depois de quase um mês em fuga, após matar um pessoa a golpes de facão e de ameaçar colonos do ramal do Icuriã, área rural de Assis Brasil, caso fosse denunciado.

Rosemildo Silva Bezerra, de 40 anos, conhecido por “Chocinha”, por certo se inspirou em Lazaro Barbosa após matar um homem a terçadas, em maio deste ano. Ele só foi localizado na última quarta-feira (16), após um mês em fuga, com registro de ataques e ameaças a colonos de áreas rurais instaladas ao longo de dez quilômetros da BR-317, a chamada Estrada do Pacífico, entre os municípios de Brasiléia e Assis Brasil.

Rosemildo Silva Bezerra, de 40 anos, é conhecido por “Chocinha”

O crime cometido por “Chocinha” foi em 18 de maio, quase um mês antes de o Brasil conhecer o chamado “serial killer” do Distrito Federal e Goiás. O crime foi registrado numa área conhecida como comunidade Rio Grande, território do município de Assis Brasil. A vítima foi Luiz Carlos de Lara, assassinado a golpes de falcão, após ter a casa invadida pelo assassino. O criminoso cometeu o assassinato por ciúmes, já que Lara era atualmente o marido da ex-companheira de Rosemildo. Após cometer o crime, no mesmo estilo do criminoso de Goiás, que tem pelo menos 200 policiais em seu encalço, fugiu para o mato.

Ele só foi preso após uma intensa perseguição policial feita pelo comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar de Assis Brasil, major Moisés Araújo, juntamente com os demais policias, realizaram buscas e montaram campana pelos ramais. O major, a propósito, é o mesmo que na semana passada chegou a ser preso em flagrante pela delegada Carla Brito, em Brasiléia, acusado de crimes de violência doméstica contra a esposa e a sogra. Ele teve a prisão em flagrante revogada pelo juiz da comarca sob uma série de medidas restritivas, entre as quais manter distância de 500 metros de distância das vítimas.

Na quarta-feira passada, no entanto, o oficial foi recebido em Brasiléia como herói ao entregar à Polícia Civil o homem procurado pelo assassinato e que vinha ameaçando moradores do Ramal do Icuriã, área rural de Assis Brasil, caso sua localização fosse deletada. Informado da situação, o major Araújo acampou na região com um grupo de policiais e conseguiram o que os policiais do Distrito Federal e de Goiás, depois de mais de dez dias de insucessos, não conseguem em relação a Lazaro Barbosa.

Fonte: ContilNet

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas