Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

No Acre, menino de 3 anos faz aniversário com tema ‘caminhão de lixo’ e convida garis

_________________Publicidade_________________

Um tema de aniversário atípico marcou a comemoração dos três anos do pequeno Theo Vieira na noite dessa segunda-feira, 11, véspera do Dia das Crianças. Apaixonado por caminhões de lixo desde bebê, escolheu como tema da festa o veículo utilizado para recolher o lixo da cidade. Não só isso, também convidou os coletores – ídolos do menino – para celebrar a festa com a família.

A mãe do aniversariante, a nutricionista Sergiane Costa, contou ao ac24horas como foi a organização da festa e a paixão do filho pelo caminhão de lixo. “Ele pediu para fazer a festa com esse tema porque é simplesmente apaixonado por caminhões de lixo. Antes de fazer um ano, ele já ouvia em casa o barulho do caminhão chegando e perguntava o que era”.

Desde a primeira vez que a família saiu de casa para mostrar ao Theo o caminhão passando na rua, ele ficou encantado. “As luzes piscando, o barulho do caminhão, os coletores correndo para pegar o lixo, tudo isso o deixou apaixonado”, diz a mãe. Até hoje o menino sai no portão de casa para ver os coletores passando na rua em dia de coleta.

O amor do menino pelo caminhão fez com que toda a família ficasse envolvida, sabendo o percurso, a rota de coleta de muitos bairros. “Sabemos os dias que eles passam na casa da minha sogra, da minha mãe, de uma outra casa que nós morávamos. E ele aprendeu rápido a rota, porque escutava o barulho de muito longe. Então, a gente já tem os dias programados”.

Na avó paterna, os dias de coleta do lixo são sagrados, sempre às segundas, quartas e sextas. “A gente corre para ver o caminhão de lixo, ele vê e dá ‘tchau’ para os amigos coletores dele”, relata Sergiane, destacando que na casa de sua mãe, avó materna de Theo, o pequeno já até fez amizade com o motorista do caminhão. “Tanto que o motorista já sabe que ele é apaixonado e para na frente da casa da minha mãe, buzina para esperar que ele vá até a frente da casa para ver eles passando”.

Escolha do tema e organização da festa

Com a aproximação da data de aniversário de Theo, há cerca de quatro meses os pais começaram a perguntá-lo qual tema de aniversário ele iria querer. “E ele sempre falava que era caminhão de lixo. A gente dava opções, mostrava desenhos animados, perguntava se era caminhão de bombeiro, personagens, e ele sempre falava que não, que queria de caminhão de lixo”, brinca a mãe.

De acordo com os pais, Theo vê os trabalhadores da coleta como verdadeiros heróis. “E na verdade eles são nossos heróis na cidade. O Theo se encanta, fica com o olho brilhando, é realmente muito apaixonado no caminhão do lixo, na profissão [dos garis]. Como ele sempre foi muito certo do que queria, a gente atendeu prontamente esse pedido de fazer a festa com esse tema”.

O tema incomum dificultou a procura por itens de decoração, mas a mãe conseguiu encomendar a roupa de coletor e demais produtos com tema de caminhão de lixo. “Quando ele foi experimentar a roupinha, assim que vestiu, não queria mais tirar. Hoje, um dia depois da festa, ele já acordou e pediu para vestir de novo”.

Emoção

A família se diz encantada pelo fato de a criança ter escolhido esse tema em meio a tantos outros. “Não tinha como fazer diferente. A gente se esforçou ao máximo para fazer acontecer. Foi difícil, mas o resultado foi incrível. Ele ficou super feliz e se sentiu realmente muito realizado”, afirma Costa.

O pai do garoto havia falado com os trabalhadores na semana passada para verificar a possibilidade de os mesmos participarem da festa. “A gente sabe que na segunda-feira tem uma demanda de trabalho maior, eles passam um pouco mais tarde, mas queríamos a participação deles como convidados, nem que fosse na hora de cantar o parabéns”.

Quando o caminhão de lixo chegou e parou em frente da casa, Theo ficou em êxtase. “Os vídeos demonstram a alegria dele. Ele estava se sentindo no paraíso, estava no meio dos ídolos dele. Ele olhava com um olhar de encanto que emocionou todo mundo que estava aqui”, disse a mãe.

Os pais reconhecem que a sociedade não valoriza o trabalho dos coletores como deveria. “Eles são importantes, têm um trabalho digno na sociedade e infelizmente vemos que muitas pessoas não valorizam. Uma criança com amor puro, inocente, se identifica, os tem como heróis, e isso nos deixa felizes e emocionados e ficamos felizes com a certeza de que estamos no caminho certo, pois que ele valoriza as pequenas coisas, coisas que importam. Quando ele veio com esse pedido de fazer o tema de caminhão de lixo, ficamos até emocionados”, finaliza Sergiane.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas