Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Nível do Rio Acre fica um metro abaixo do esperado para junho e deixa Defesa Civil em estado de atenção

_________________Publicidade_________________

O Rio Acre chegou à cota de 2,53 metros neste domingo (27), e está um metro abaixo do nível esperado para o mês de junho, segundo informou a Defesa Civil de Rio Branco. Situação preocupa e levou o órgão a montar plano de contingência.

A média esperada para o mês seria de pelo menos 3,50 metros, um a mais do que a cota registrada neste domingo.

“É uma situação de atenção. E nesse ano de 2021 nós estamos muito semelhantes ao que aconteceu em 2016, quando tivemos a seca histórica”, disse o coordenador da Defesa Civil do município, major Claudio Falcão.

Em setembro de 2016, o Rio Acre atingiu o menor nível já registrado na história desde 1971, ano em que o manancial começou a ser monitorado. No dia 17 de setembro daquele ano, o rio marcou 1,30 metro.

“Estamos em junho ainda e o esperado para o Rio Acre é que ele estivesse acima desse nível, ele está abaixo do que esperamos na média”, acrescentou.

Além de Rio Branco, o major informou que em toda extensão do Rio Acre, no interior do estado, o manancial está abaixo dos três metros. Em Assis Brasil, que tem a maior cota, foi registrado 2,95 metros, Brasileira 1,66 metro e Xapuri 1,60 metro.

O coordenador disse ainda que a Defesa Civil está com plano de contingência pronto para atuar nessa parte de seca, em relação ao abastecimento de água em comunidades rurais – pelo menos 11 inicialmente – que não possuem abastecimento do Departamento de Água e Saneamento do Acre (Depasa) e também em relação às queimadas que se intensificam nesse período.

“Em todos os lugares estamos com o nível muito baixo e vem toda aquela situação que já sabemos da seca. As medidas adotadas nesse momento é que estamos mobilizando as equipes da prefeitura para abastecer locais que não possuem rede do Depasa, em comunidades rurais e vamos começar a operação em julho”, pontuou.

Com o nível baixo do manancial ainda há prejuízo à navegação, aumento no número de afogamento e o problema de abastecimento em Rio Branco que pode ficar comprometido uma vez que a captação ocorre em uma área de barranco.

Por G1 ACRE

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas