3 de julho de 2022   |   15:09  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

“Não teve a manutenção que deveria”, diz Jorge Viana sobre BR-364 em entrevista ao Juruá Notícias

O ex-governador e ex-senador falou ainda sobre a atual política de preços da Petrobras, política armamentista e sobre sua pré-candidatura ao Senado.

_________________Publicidade_________________

Redação Juruá Online

Nesta quarta-feira (25), o Juruá Notícias recebeu Jorge Viana, ex-governador e ex-senador, oportunidade em que relembrou parte de sua trajetória política. Opinou também a respeito da situação na BR-364, da crise do combustível, armamento e lembrou a guerra na Ucrânia, como uma ameaça em potencial.

Jorge Viana disputou o governo do estado, em 1998, obtendo vitória ainda no primeiro turno. Em 2002, assumiu mais uma vez o posto de chefe de estado, sendo reeleito com 64% dos votos.

Viana declarou, opinando a respeito da BR-364, que a rodovia atualmente passa por diversas situações, estando em ponto crítico. O ex-político afirmou, ainda, que em seu governo, assim como no de Orleir Cameli, o tráfego rodoviário mantinha-se em perfeitas condições.

Outro assunto tocado na entrevista, em que o ex-político mostrou interesse de discussão, foi a crise do combustível em nosso país, principalmente após sucessivos aumentos da carga tributária nos postos de distribuição.

“Antes, era produzido 1 milhão de barris de petróleo por dia e dava conta. Após o pré-sal, implementado na gestão anterior, são produzidos mais de 3 milhões de barris no dia.(…) A empresa da Petrobras foi vendida e parte dela destruída, sendo colocado o preço em dólar.(…) O Brasil é auto-suficiente rico em petróleo(…) Isso são consequências dos problemas políticos, pois se as coisas estivessem andando bem, a economia estaria dando certo na geração de emprego”, declarou Viana.

A respeito do armamento, tema bastante controverso em nosso país, Jorge Viana mostrou opinião firme, claramente contrária as políticas de favorecimento as armas.

“A arma é boa para caçadores que precisam de uma caça para comer, para a polícia nos proteger. (…) longe das mãos de bandidos, pra gente poder ter paz”, ressaltou Viana.

Viana acredita que o país está em situação precária, sendo este o fator vital que o levaria a uma possível pré-candidatura no cenário político. “A crise é politica. Eu acho que se a gente acertar a mão na política quem sabe essa crise pode ficar para trás”, finalizou.

Assista a entrevista transmitida Ao Vivo hoje (25):

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS