Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

‘Não somos mais invisíveis’, diz mãe de estudante que adaptou ‘sala de aula’ em árvore no Pará

Artur Ribeiro, de 15 anos, acompanha atividades remotas em cima de uma mangueira. Família tem recebido pedidos para incentivar outros alunos a não desistirem dos estudos.

De uma hora para outra tudo mudou. A realidade ficou conhecida e a voz de incentivo à educação começou a ecoar cada vez mais longe. Foram assim os últimos dias para a família de Artur Ribeiro Mesquita, de 15 anos, que ficou conhecido por adaptar uma ” sala de aula” em cima de uma mangueira para assim acompanhar as explicações dos professores através da internet em Alenquer, no oeste do Pará.

Além de material escolar, equipamentos para acesso à internet e outras doações feitas por pessoas de outros estados e até países, a família tem recebido pedidos para gravar mensagens incentivando outros alunos a não desistirem de estudar mesmo com as adversidades impostas pela pandemia.

Com a repercussão da história, a mãe do estudante disse que os anos de luta pela educação dos filhos têm dado bons frutos. Lúcia Ribeiro conta que sempre incentivou os estudos e precisou, junto com o esposo, deixar para trás uma vida em outra comunidade rural para morar mais próximo do centro e garantir o acesso dos filhos à escola.

“A gente era invisível. Hoje, todo mundo vê a gente, não somos mais invisíveis. Ficamos felizes mais do que nunca com que está acontecendo”, disse Lúcia.

Ainda processando as mudanças provocadas pela história de Artur, que ganhou destaque no G1 e no Fantástico, a mãe ressalta que a dificuldade de acesso à educação ainda é uma realidade de muitas famílias brasileiras.

“Quantos milhares de nós, ou até mesmo em situação mais difícil, continuam invisíveis?”, questionou.

Jovem sobe no alto de árvore para melhorar sinal de internet e assistir aulas no Pará

Jovem sobe no alto de árvore para melhorar sinal de internet e assistir aulas no Pará

Incentivo aos estudos

Lúcia Ribeiro destaca que o mérito de alunos que não desistem de estudar também é dos pais, que considera serem a base para uma educação que transforma vidas e modifica realidades.

Para Artur, que tem usado a história de vida como estímulo a estudantes, a alegria de poder ajudar outras pessoas a acreditar nos sonhos é indescritível. Ele não imaginava no poder que a história do estudo na árvore teria na vida das pessoas.

Família de Artur embaixo da mangueira, que teve uma 'sala de aula' adaptada para aulas remotas — Foto: Lúcia Ribeiro/Arquivo Pessoal

Família de Artur embaixo da mangueira, que teve uma ‘sala de aula’ adaptada para aulas remotas — Foto: Lúcia Ribeiro/Arquivo Pessoal

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas