7 de agosto de 2022   |   22:59  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

“Não há previsão de melhora no preço do diesel”, diz ex-diretor da ANP

Decio Oddone explicou que a alta dos combustíveis ocorre devido ao aumento no custo de refino, com menos ofertas no mundo após o fechamento de algumas refinarias.

_________________Publicidade_________________

Pela primeira vez na história, o preço médio do diesel ultrapassou o da gasolina, segundo o boletim de preços da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Após os reajustes da Petrobras, o valor médio do diesel comum (S-500) chegou a R$ 7,56, enquanto o diesel S-10 foi verificado em R$ 7,67. Em entrevista, neste domingo (26), o ex-diretor da ANP Decio Oddone disse que não há previsão de o preço do diesel arrefecer, em razão da volatilidade no cenário internacional.

“Não há previsão possível de melhora nesse momento de volatilidade extrema, com a guerra na Ucrânia, a possibilidade de recessão e as restrições que existem de consumo com a China”, disse. “Infelizmente vamos viver com incerteza nos próximos meses”, acrescentou.

O ex-diretor da ANP explicou que a alta dos combustíveis ocorre devido ao aumento no custo de refino, com menos ofertas no mundo após o fechamento de algumas refinarias.

“O que está acontecendo nesta crise é que está subindo mais o preço dos derivados do que o preço do petróleo em razão de um fenômeno novo, que é o aumento do custo de refino com o fechamento de refinarias no mundo ao longo dos anos, e a invasão da Ucrânia que afetou a oferta de diesel pela Rússia, um grande fornecedor. Isso impactou as margens das refinarias e o preço dos derivados, especialmente do diesel, que tem subido muito mais que o preço do petróleo em si”, destacou.

Via CNN Brasil

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS