Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Não é só você; seus animais de estimação também ganham peso durante a pandemia

Se for ignorada, a obesidade em animais de estimação aumenta o risco de diabetes, doenças renais, hipertensão, artrite e câncer.

Animais de estimação são frequentemente celebrados por combinarem com os costumes de seus donos.

Andando no mesmo ritmo? Sinal de bom treinamento. Abraçando e assistindo TV juntos? Adorável.

Comer estressados juntos porque vocês dois estão em casa o dia todo devido a uma pandemia angustiante? Menos cativante – e potencialmente perigoso.

Veterinários em todos os Estados Unidos estão percebendo ganho de peso e níveis mais altos de obesidade em animais de estimação desde o início da pandemia, disse Ernie Ward, veterinário e fundador da Associação para Prevenção da Obesidade em Animais de Estimação.

Ele declarou à CNN que recebe relatos de veterinários dizendo que estão “vendo mais ganho de peso este ano” do que nos anos anteriores: “[A pandemia] é a tempestade perfeita”.

Mais petiscos em casa, menos caminhada fora

Restrições de movimento, juntamente com mais lanches em casa, provavelmente estão levando ao ganho de peso dos animais de estimação e à obesidade.

Simon McDevitt, um cachorro da raça corgi de Nova York, é exemplo vivo do que mais lanches e menos caminhadas podem fazer à saúde de um cão.

Sua dona, Margaret McDevitt, disse à CNN que, com mais tempo em casa, ela fica propensa a alimentar Simon no sofá.

“Ele é o amante da pipoca [da marca] Smartfood”, afirma. “Com a gente mais em casa, vendo TV no meio do dia […] ele vê a bolsa e só vai implorar”.

Desde março de 2020, McDevitt notou um aumento de peso no animal, mas o número é difícil de estimar por causa da penugem extra que cresce quando seu pelo fica comprido.

Morando em um apartamento pequeno, McDevitt afirma que é difícil fazer Simon se exercitar o suficiente.

“Durante a Covid, suas longas caminhadas definitivamente se tornaram mais curtas”, enfatiza. “Querer limitar a exposição com outras pessoas na rua era uma coisa – mas também, eles simplesmente não eram mais agradáveis. Estar perto de tantas pessoas, ter que usar uma máscara […] é apenas uma experiência diferente”.

Em tempos pré-pandêmicos, era mais fácil para Simon se exercitar no parque para cães ou em outro espaço público. Mas a pandemia tornou essas oportunidades menos seguras e, agora, com o clima norte-americano mais frio, existem várias barreiras para exercícios suficientes.

Você está estressado e seus animais de estimação também

Segundo Ward, há outro fator presente no ganho de peso e na obesidade dos animais de estimação: o estresse. “Quando você está estressado ou ansioso, seu cérebro desperta uma cascata de substâncias neuroquímicas que o estimulam a comer”.

E os animais de estimação percebem isso. “Nossos animais de estimação tendem a assumir esses atributos emocionais, porque são altamente empáticos”, explica Ward. “Eles estão nos procurando em busca de pistas emocionais”.

O Simon, de acordo com McDevitt, tem se alimentado de estresse desde o início da pandemia. Depois que ela foi dispensada do emprego, em março de 2020, e passou mais tempo em casa, ele come suas refeições mais rapidamente e implora por comida com mais frequência.

“Ele está tendo mais dificuldade quando eu saio de casa”, relata. “Ele tinha ansiedade de separação para começar, então, depois de ficar tanto tempo em casa, comecei a notar que estava fazendo isso como um mecanismo de enfrentamento”.

McDevitt planeja fazer com que Simon tenha um peso saudável. “Agora que a primavera está chegando, pretendo alongar novamente as caminhadas dele”, disse. “Acabei de conseguir um novo emprego, então estou tentando colocá-lo em um horário de alimentação para quando eu sair de casa […] agora que não estou tanto em casa, ele com certeza vai recusar [a pipoca]”.

Controle de peso

Conforme o veterinário, os donos devem manter o peso de seus animais de estimação sob controle, apesar de quão fofa essa penugem extra possa ser.

Se se for ignorada, a obesidade em animais de estimação pode aumentar o risco de diabetes, doenças renais, hipertensão, artrite e câncer.

Também pode encurtar a vida de um animal de estimação em mais de dois anos. Um estudo de 2019 descobriu que a vida útil de cães com excesso de peso era, em média, até dois anos e meio mais curta do que seus pares caninos com peso saudável.

No entanto, Ward tranquiliza que as doenças relacionadas ao excesso de peso são evitáveis. “É como se tivéssemos uma bola de cristal. Nós sabemos o que vai acontecer com o seu gato no futuro”.

Para controlar o peso dos animais de estimação, o veterinário explica que, primeiramente, é necessário avaliar o problema. Os proprietários podem olhar o perfil lateral do animal para verificar se há um estômago pendurado na parte inferior. Ou podem olhar para o animal de cima – se eles têm aparência de um dirigível ou um balão, é indicador de excesso de peso.

Depois que os donos de animais entendem o peso de seus animais, eles podem começar a desfazer alguns desses hábitos negativos de quarentena, como ser sedentário demais ou comer demais.

Como sempre, levar animais de estimação ao veterinário é a maneira segura de entender o risco que o peso de um animal de estimação representa.

Mas Ward disse que, em última análise, os donos de animais não devem se guiar por um número em uma escala – eles devem se guiar pela qualidade de vida.

Simon percorreu um longo caminho desde seu resgate, em 2014. McDevitt trabalhou muito para aliviar sua ansiedade e aumentar sua capacidade de confiança – e os dois formaram um vínculo extremamente próximo no processo. “Ele é meu amigo pandêmico. Temos que cuidar um do outro”, finaliza.

Via: CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas