Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Morte de modelo que caiu de prédio no Chile completa 3 meses; ‘Foram os mais difíceis da minha vida’, diz mãe que mora em SC

Nayara Vit morreu após queda do 12º andar do edifício em que morava com a filha e o companheiro, em Santiago. Eliane Marcos Vit falou com a filha horas antes da morte.

_________________Publicidade_________________

A morte da modelo Nayara Vit, que caiu do 12º andar do prédio em que morava em um bairro nobre de Santiago, no Chile, completa nesta quinta-feira (7) três meses sem respostas, segundo a mãe da brasileira, Eliane Marcos Vit. Uma homenagem em memória da modelo está programada para ocorrer em uma página nas redes sociais que cobra explicações das autoridades chilenas.

“Há 3 meses esperamos por respostas. Esses meses foram os mais difíceis da minha vida. Receber a notícia de sua morte deixou toda família arrasada. E depois saber como tudo aconteceu, além do sentimento de impotência, é difícil conter a revolta. Só queremos a verdade e que a justiça seja realmente justa”, afirma Eliane, que é moradora de Santa Catarina.

De acordo com Eliane, mais de 60 testemunhas foram ouvidas. A reconstituição do crime e a atuação da perícia técnica foi realizada na quarta-feira (29).

Para a família da modelo, o atual companheiro da vítima é o principal suspeito pelo crime, uma vez que afirmam que não teria ocorrido suicídio.

Eliane Vit é mãe de Nayara e mora em Porto União (SC) — Foto: Eliane Vit/Arquivo Pessoal

Eliane Vit é mãe de Nayara e mora em Porto União (SC) — Foto: Eliane Vit/Arquivo Pessoal

“Foi utilizado um boneco com altura e peso correspondente aos da Nayara. Como o processo corre em segredo de Justiça, não temos os resultados das perícias. O suspeito continua livre e formalmente ainda não foi acusado. E mesmo não tendo sido acusado entrou com um pedido para que o fiscal [juiz] fosse afastado do caso”, afirma.

Eliane Marcos Vit mora em Porto União, no Norte Catarinense, e conta que falou com a filha por ligação de vídeo horas antes da morte dela.

A modelo morava no Chile há 16 anos. No dia da morte, estava no apartamento com o namorado e a filha de 4 anos. A babá da criança também estava no local.

O corpo da modelo foi sepultado no Chile no dia 22 de julho. A família acompanhou a cerimônia de despedida no Brasil de forma online.

Imagem publicada no dia 9 de novembro de 2020 na internet mostra a mulher de 33 anos — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Imagem publicada no dia 9 de novembro de 2020 na internet mostra a mulher de 33 anos — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Ida ao Chile

A família informou que a fronteira com o Chile foi aberta na sexta (1º) e que um passe mobilidade é solicitado para a entrada de estrangeiros. Os familiares foram impedidos de entrar no país para se despedir da modelo.

“Já entramos com a solicitação e eles têm 30 dias para aprovar ou não. Assim que conseguirmos a aprovação iremos para lá”, disse.

“Não descansaremos até que tudo se esclareça” afirma.

Nayara Vit morreu no dia 8 de junho no Chile — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Nayara Vit morreu no dia 8 de junho no Chile — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Guilherme Vit, irmão de Nayara, disse que as autoridades chilenas descartaram a hipótese de suicídio. A família suspeita que a modelo tenha sido vítima de feminicídio. O processo corre em segredo de Justiça. Um advogado chileno acompanha o caso e representa a família no local.

“A nossa expectativa é que as etapas de investigações possam ser concluídas e a acusação seja apresentada com o pedido de prisão. Não esperamos outra hipótese, todas as evidências levam a essa conclusão e lamentamos a demora da Justiça para provar essa tese”, conclui.

Filha de Nayara

Segundo a mãe de Nayara, a neta, de 4 anos, soube recentemente da morte da mãe. No dia 29 de agosto o pai da menina a levou para visitar o túmulo da mãe em um cemitério no Chile.

A filha de Nayara vive com o pai, no Chile. A família da brasileira afirma que não pretende entrar na Justiça pela guarda da criança. Em um primeiro momento, familiares tentaram trazer o corpo de Nayara para o Brasil, contudo a decisão foi reavaliada por causa da criança.

Família de Nayara suspeita de feminicídio — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Família de Nayara suspeita de feminicídio — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Envolvimento do companheiro

Eliane conta que Nayara estava se relacionando há pouco mais de 6 meses com o companheiro. A família não chegou a conhecê-lo pessoalmente. A mãe da modelo afirma que Nayara nunca havia relatado qualquer tipo de agressão por parte do companheiro.

“Foi o comportamento dele que levou a gente a esta conclusão [que está envolvido]. Ele não avisou a família. Foi o ex-marido dela, o pai da minha neta, que comunicou a morte da Nayara. O pai da Nayara entrou em contato com ele e só depois de algumas tentativas, ele retornou. Disse que a Nayara estava com uma depressão muito séria, que estava tomando remédios muito fortes e que nos últimos meses havia tentado suicídio duas vezes. E que desta vez ele não conseguiu impedir. Isso acendeu um sinal de alerta na gente, porque sabíamos que não era verdade. Ela estava muito feliz e não tinha nenhum aspecto de depressão”, apontou.

g1 não conseguiu contato com companheiro da vítima e com a polícia chilena até as 19h de quarta-feira (6).

Por G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas