Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Moraes nega pedido da defesa de Witzel para suspender processo de impeachment

Defesa do governador afastado afirma que o STJ não enviou todos os anexos da delação premiada do ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes rejeito um pedido feito pela defesa do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para que o processo de impeachment fosse suspenso.

De acordo com a defesa de Witzel, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) não enviou todos os anexos da delação premiada do ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos. Após analisar o pedido, no entanto, Moraes entendeu que os documentos foram enviados à defesa de forma correta.

“A garantia do exercício da ampla defesa somente alcança o acesso a provas que digam respeito à pessoa do investigado ou aos fatos diretamente a ele imputados, não autorizando o acesso a documentos sigilosos que tenham por objeto fatos e imputações dirigidas a terceiros e que não estão sendo utilizados pela acusação”, escreveu o ministro em sua decisão.

Ainda de acordo com o ministro da Corte, se outros documentos fossem enviados agora, o sigilo estabelecido legalmente poderia ser rompido.

Wilson Witzel enfrenta um processo de impeachment e está afastado do cargo desde agosto de 2020. O governador afastado é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por ter um suposto envolvimento em desvios de recursos na área da saúde durante a pandemia.

Desde o início do processo, Witzel nega participação nos crimes.

CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas