Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Militares aprovam não punir Pazuello e criticam Mourão

_________________Publicidade_________________

Um militar ligado ao Palácio do Planalto avaliou na tarde dessa quinta-feira (3) que a decisão de não punir o general Eduardo Pazuello por ida à motociata do presidente Jair Bolsonaro no Rio não causará “indisciplina ou insatisfação interna” no Exército.

De acordo com o oficial, as Forças Armadas estão “coesas”, e o vice-presidente Hamilton Mourão, precipitou-se ao explicitar que esperava que houvesse algum corretivo a Pazuello. A apuração é do portal Metrópoles.

– O vice não tinha todas as percepções e falou prematuramente – assinalou o militar.

Falando em nome da corrente que defendeu a não punição do ex-ministro, o oficial disse que a repercussão do caso é grande na imprensa, mas que internamente os ânimos estão tranquilos após reunião com o comandante Paulo Sérgio.

– Não haverá problemas internos e sim muita especulações na imprensa para atingir o real interesse de tudo isso: atingir o presidente. Desde o início, a imprensa se adiantou em classificar o ato como político. (…) Não haverá consequências danosas nem politização nas Forças Armadas. Nada disso vai ocorrer. As Forças Armadas estão coesas, profissionais e “vacinadas” contra essas iscas da politicagem barata que muitos fazem.

O militar, porém, não nega que tenha havido uma corrente interna pela punição ao ex-ministro da Saúde, mas minimiza a discordância.

– Em tudo na vida existe a divergência de percepções. Neste caso, muita gente estava sem a totalidade das informações.

Por Pleno News

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas