Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Membros do Solidariedade não aceitam Moisés Diniz como presidente e prometem esvaziar a sigla

_________________Publicidade_________________

Os membros da executiva do Solidariedade do Acre publicaram uma nota na última terça-feira (25) revelando uma verdadeira rasteira dada pelo presidente nacional do Partido na família Milani. De acordo com a nota, a saída da deputada federal Vanda Milani já era certa e do conhecimento do deputado federal Paulinho da Força.

A executiva afirma que Vanda Milani sairia do Solidariedade para nas eleições de 2022 estar no palanque do presidente Jair Bolsonaro e não do ex-presidente Lula. Entretanto, o então presidente Israel Milani seguiria presidindo o partido no Acre, o que não aconteceu.

“Nos últimos meses a deputada federal Dra. Vanda Milani, teve uma conversa com o presidente Nacional da sigla Paulinho da Força Sindical e na conversa ele disse a ela que o partido não iria apoiar o presidente Jair Bolsonaro, ou seja, o partido Solidariedade tem a tendência de apoiar o ex-presidente Lula, do PT, mas na mesma conversa a Dra. disse a ele que não tinha como ela disputa as eleições de 2022, ao cargo de senadora no palanque do PT, aí ficou acertado que ela iria procurar um partido de direita para fazer a sua filiação na hora certa, mas que a direção do Solidariedade ficaria sob o comando do seu filho Dr. Israel Milani”, diz trecho da nota.

Em outro trecho do documento, os membros do Solidariedade acusam políticos acreanos de agirem na surdina para “roubar” o partido das mãos dos Milani. A nota cita o senador Marcio Bittar, o ex-deputado Ney Amorim, o ex-prefeito Francisco Dêda e o ex-deputado e atual secretário de Estado Moisés Diniz como os articuladores dessa ação.

“Foram até o estado de São Paulo, e tomaram o partido Solidariedade do nosso grupo. Enfim, na conversa que tivemos ficou acertado que nós, ou seja, todos aqueles que quiserem continuar juntos no grupo da deputada, iremos fazer as nossas filiações partidárias no PROS e juntos vamos reunir todos os ex-presidentes e todos das nossas executivas no objetivo de organizar a nossa nova sigla partidária”.

Via: Notícias da Hora

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas