Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Médicos municipais entram greve em Rio Branco e 15 unidades são afetadas

_________________Publicidade_________________

Reivindicando reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR), os médicos que trabalham para a prefeitura de Rio Branco entraram em greve nesta segunda-feira (8) e, pelo menos, 15 unidades de saúde devem ser afetadas com a paralisação. A greve, segundo a categoria, deve durar por 30 dias.

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) informou que nas unidades atendidas pelo programa Mais Médicos essa paralisação não deve ocorrer.

O presidente do Sindmed-AC, Guilherme Pulici, explicou que desde julho a categoria tenta uma negociação com a prefeitura de Rio Branco, mas não teve um retorno efetivo da proposta apresentada.

“A principal reivindicação é a reformulação do plano de carreira, cargo e remuneração e com o reajuste do salário base, que parte de R$ 1,8 mil e não há reajuste nos últimos seis anos, estando defasado, corroído não só pela inflação mas defasado com relação a outras carreiras médicas do país, mas não houve contraproposta do que foi apresentado em julho, não tem nada oficial”, destaca.

Uma das unidades afetadas com a paralisação é a da Vila Ivonete. O coordenador da unidade, Emerson Bezerra, disse que, apesar de não ter atendimento médico, há procura por outros serviços.

“A gente tem outros atendimentos; como distribuição de medicamentos, consultas de enfermagem, vacinação contra Covid, curativos, entre outros serviços. Em relação a consulta médica não vamos ter, mas a gente está com a lista dos agendados para o usuário não ter tanto prejuízo. Vamos entrar em contato para reagendar e pedimos calma para a população, vamos fazer de tudo para não prejudicá-los”, diz.

Ele conta que diariamente a unidade tem de 40 a 50 pessoas atendidas por médicos na unidade. Segundo ele, a alternativa é também remanejar alguns pacientes para outras unidades.

Reivindicando reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR), os médicos que trabalham para a prefeitura de Rio Branco entraram em greve nesta segunda-feira (8)  — Foto: Ana Paula Xavier/Rede Amazônica Acre

Reivindicando reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR), os médicos que trabalham para a prefeitura de Rio Branco entraram em greve nesta segunda-feira (8) — Foto: Ana Paula Xavier/Rede Amazônica Acre

‘Saúde de péssima qualidade’

O estudante Thiago Andrade foi em uma dessas unidades que estão sem médicos. Ele disse que já sabia da paralisação, mas resolveu arriscar.

“A gente sabe que a saúde é de péssima qualidade. Eu creio que essa paralisação vai prejudicar muito, atrasar ainda mais quem quer marcar suas consultas e ir ao médico”, destaca.

Maria da Silva, de 49 anos, também madrugou na unidade, mas saiu sem atendimento. Ela conta que ia fazer sua consulta de rotina.

“Eu sabia da paralisação, mas daí estou tentando. Sempre a gente precisa acordar de madrugada e muitas pessoas precisam vir nesse horário. Se não tiver, volta pra casa, a saúde é desse jeito, daí pra pior. Está difícil que não melhora nada, muito difícil”, reclama.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas