Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Marcelo Queiroga diz que meta é vacinar 1 milhão de pessoas por dia a ‘curto prazo’

_________________Publicidade_________________

Em sua primeira coletiva de imprensa após a nomeação como ministro da Saúde, Marcelo Queiroga disse nesta quarta-feira (24) que a meta é triplicar a atual taxa de vacinação a curto prazo e chegar a imunizar 1 milhão de pessoas por dia.

“Temos condições de vacinar muitas pessoas. Atualmente, são 300 mil todos os dias. O Ministério da Saúde assume o compromisso de em curto prazo aumentar pelo menos em 3 vezes essa velocidade, chegando a 1 milhão de pessoas todos os dias. A meta é plausível” – Marcelo Queiroga.

Nesta terça-feira (23), o Brasil ultrapassou 3 mil mortes em 24h e, nesta quarta, chegou a 300 mil desde o início da pandemia. O Ministério da Saúde, no entanto, reduziu a previsão de doses para abril em quase 10 milhões. Segundo Queiroga, o país está vacinando cerca de 300 mil pessoas por dia. A média diária, desde 18 de janeiro, quando começou a vacinação no país, está perto de 190 mil.

O novo ministro da Saúde disse que o presidente Jair Bolsonaro deu carta branca para a escolha dos secretários da pasta. Ele anunciou Rodrigo Castro (funcionário de carreira do Ministério da Saúde) como secretário-executivo, Sérgio Okane (diretor-executivo do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo) como novo secretário de Atenção à Saúde. Queiroga também informou a criação de uma secretaria específica para discutir medidas de combate à Covid-19.

“Nós estamos agora com um firme propósito, e essa é uma providência do momento, de instituir uma secretária especial para o combate à pandemia de Covid-19. Essa secretaria vai cuidar somente da pandemia. Porque sabemos que além da pandemia as pessoas continuam tendo outros males”, disse o ministro.

Vacinação lenta

Por enquanto, o Brasil não recebeu doses suficientes para vacinar 1 milhão de pessoas por dia. Especialistas da área da saúde, inclusive ex-coordenadores do Plano Nacional de Imunizações, disseram ao G1 que o problema do país não é infraestrutura para chegar até a população. O próprio ministro Marcelo Queiroga informou que existem cerca de 37 mil salas de vacinação disponíveis.

O problema é a quantidade de imunizantes. Por enquanto, o Brasil vacinou 12.793.737 pessoas com pelo menos uma dose até por volta das 20h desta terça-feira. O número, de fato, está em 5º lugar no mundo em quantidade absoluta. Entretanto, isso representa 6,04% dos brasileiros.

Outros países têm taxas de vacinação por 100 mil habitantes superiores à do Brasil. Segundo levantamento da Universidade de Oxford, o país está atrás de dezenas de outros lugares, como Chile (46,92), Reino Unido (45,21) e Estados Unidos (38,34).

G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas