Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Maior acidente aéreo da história de Sena Madureira completa 50 anos nesta terça

_________________Publicidade_________________

O dia 28 de setembro de 1971 entrou para sempre na história de Sena Madureira de maneira fatídica. Foi nesta data em que o município registrou o maior acidente aéreo de todos os tempos. 

Poucos minutos após a decolagem, o avião DC3, da empresa Cruzeiro do Sul, apresentou problemas no motor, bateu em uma árvore e caiu na região da comunidade Boca do Caeté que fica a poucos minutos do centro de Sena Madureira. Com a queda, o avião explodiu e todos os seus ocupantes morreram carbonizados. 

Dentre as vítimas estava o Bispo Dom Giocundo Maria Grotti que chefiava a Diocese de Rio Branco. Italiano de origem, ele se encontrava no Acre em substituição a Fontenele de Castro. 

Ao todo, segundo reza a história, foram 33 mortos, entre passageiros e tripulantes. 

O atual presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindissem), Antônio Furtado Davila, tinha 17 anos à época dos fatos. “Me lembro bem que ao chegarmos lá não deu pra se aproximar porque o fogo estava com quase 2 metros de altura. Os corpos foram resgatados em caixas de madeira. Um dia antes da tragédia, o Bispo Dom Giocundo tinha ministrado aula para a nossa turma”, relembrou. 

No local da queda, ainda existem artefatos do avião mesmo após meio século do ocorrido. 

Habitualmente, todos os anos a Igreja católica de Sena Madureira realiza uma Missa no local em homenagem às vítimas. 

Naquela época, as viagens feitas para Rio Branco ocorriam comumente de avião já que a BR-364 não oferecia condições de trafegabilidade. 

via-Contilnet

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas