Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Mãe de Kaio Guilherme diz que autorizou doação de órgãos: ‘A gente perdeu um pra salvar outros’

Kaio Guilherme morreu após ficar internado por oito dias no Hospital Pedro II, na Zona Oeste do Rio. Aos 8 anos, ele foi atingido por uma bala perdida na cabeça no dia 17 de abril na Vila Aliança, em Bangu.

A mãe do menino Kaio Guilherme da Silva Baraúna, Thais da Silva, informou neste domingo (25) que autorizou a doação de órgãos do filho. O menino morreu neste sábado (24) após ficar oito dias internado no Hospital Municipal Pedro II, na Zona Oeste do Rio.

“Nós autorizamos a doação de órgãos. É uma maneira de a gente sentir ele um pouco vivo. Talvez tenha sido esse propósito de Deus a gente perdeu um pra salvar outros”, disse Thais.

A mãe do menino de 8 anos afirmou ainda que o filho “descansou” após oito dias internado. Ele foi baleado na cabeça durante uma confraternização na escola onde estudava na Vila Aliança, em Bangu, Zona Oeste.

Ainda não há informações sobre o velório e o enterro do menino.

Kaio Guilherme com a mãe Thais — Foto: Reprodução/Redes sociais

Kaio Guilherme com a mãe Thais — Foto: Reprodução/Redes sociaishttps://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Luto nas redes sociais

Nas redes sociais, amigos e familiares prestaram solidariedade para a família. A mãe declarou luto após perder Kaio.

“É com muita dor que comunico que meu filho descansou. Ele lutou muito”, disse a mãe, que declarou luto nas redes sociais.

“Sinto muitíssimo pela sua perda! Não há palavras nesse momento que console, contudo continuarei orando para que Deus cuide de você e traga o conforto que só Ele pode dar nesse momento! meus pêsames!”, disse uma conhecida da família.

Sonhava ser jogador de futebol

A mãe do Kaio, Thais Silva, afirmou ainda que, após perder seu filho, as lembranças vão ficar na memória. Kaio Guilherme será sempre lembrado como um menino inteligente, amável e que sonhava em ser jogador de futebol.

“Era uma criança muito alegre. Gostava muito de brincar, muito comunicativo, tinha essa paixão pelo futebol. Era o sonho dele ser jogador. E assim era amável, inteligente, na escola todo mundo conhecia, todos os funcionários. Então, era assim. Uma criança muito especial pra gente”, afirmou Thais.

Menino chegou a dar sinais de reação

Kaio Guilherme da Silva Baraúna — Foto: Reprodução/TV Globo

Kaio Guilherme da Silva Baraúna — Foto: Reprodução/TV Globo

Na terça-feira (20), o menino havia começado a dar sinais de reação, segundo familiares.

“O Kaio está vivo, o cérebro ainda tem fluxo e vão continuar o tratamento”, disse Rosângela Sant’ana da Silva, a avó do menino.

Após ser operado no domingo (18) e ter feito exames complementares na segunda (19), com resultados inconclusivos, a família temia a possibilidade de morte cerebral da criança.

Segundo a avó, a realização de novos exames mostrou que ainda existia fluxo sanguíneo no cérebro, o que afastaria essa hipótese. Apesar disso, Kaio morreu no sábado (24).

Caso é investigado

Polícia investiga de onde partiu o tiro que atingiu o menino Kaio

Polícia investiga de onde partiu o tiro que atingiu o menino Kaio

Após o episódio, a família não sabia dizer de onde o disparo tinha partido. A Polícia Civil abriu uma investigação para apurar o caso.

“Não tinha confronto na comunidade, estava tudo calmo e ninguém sabe de onde veio o tiro. Falaram que estava tendo confronto na comunidade vizinha, mas não sabemos ao certo”, disse Thaissa, tia do menino, no dia 17 de abril.

G1 RIO JANEIRO

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas