13 de agosto de 2022   |   00:55  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Macaquinho entra em hospital de Tarauacá e pede carinho a pacientes e funcionários: ‘muito dócil’

Macaco Ferrugem, como é chamado, foi filmado fazendo carinho em pacientes no Hospital Dr. Sansão Gomes, em Tarauacá, interior do Acre.

_________________Publicidade_________________

Foto: Reprodução

O professor Thiago Botelho, de 27 anos, que o diga. Ele conta que se surpreendeu ao chegar no hospital para receber atendimento e ver um macaco sentar no colo dos pacientes pedindo e dando carinho a todos.

Quem não gosta de dar e receber carinho? Ainda mais se você estiver doente, precisando de atendimento médico, ou saindo de um plantão árduo de trabalho? Pois é, pacientes e funcionários que vão até o Hospital Dr. Sansão Gomes, em Tarauacá, no interior do Acre, contam com os afagos de um mascote mais do que especial, o macaco Ferrugem.

“No primeiro momento, achei estranho porque nunca tinha visto esse macaquinho por lá, ele tem até nome, os funcionários chamam de Ferrugem. Eu esperava atendimento quando ele apareceu e ficou pulando no colo das pessoas, algumas se assustaram, porque nunca tinham visto e ficaram com medo, mas, ele é muito dócil e nada agressivo, fica lá fazendo carinho nas pessoas, se enrosca todo, deita na perna, brinca”, fala.

A cena foi gravada na última segunda-feira (23), mas Ferrugem está todos os dias no hospital. O professor diz que logo percebeu que Ferrugem era conhecido pelos funcionários e que todos gastavam muito dele.

“Está todo dia por lá. Quando sentou no meu colo fiquei com medo, aí gravei a cena dele no colo dos outros pacientes. Ele pulava de colo em colo. Depois vi que era mansinho, aí ele veio para cima de mim, e eu segurei ele no braço. O Ferrugem gosta de dar e receber carinho”, brinca.

A enfermeira Fabiana Martins, de 26 anos, trabalha no hospital e conta que o macaquinho vai até o local em todos os plantões.

“Ele sempre vai para o hospital, geralmente à noite. É super dócil, quando chega já vem deitando na nossa perna e pedindo carinho, ele é uma graça”, fala.

Fabiana diz que a primeira vez que os funcionários viram o macaco pensaram que ele tinha saído de uma floresta que fica nas proximidades do hospital. “Depois percebemos que ele era um animal domesticado, pelo carinho, a forma de ficar perto das pessoas. Alguns pacientes gostam e todos os funcionários também.”

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS