17 de maio de 2022   |   19:08  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Israel registra sete casos de poliomielite; cobertura vacinal preocupa

De acordo com autoridades de saúde locais, cerca de 16 mil crianças foram vacinadas contra a doença no último domingo.

_________________Publicidade_________________

Israel já confirmou sete casos de poliomielite em um mês. Todos não haviam sido vacinados, e apenas um apresentou sintomas até o momento.

Em um esforço para coibir o aumento de casos de paralisia infantil, o Ministério da Saúde local informou que, no último domingo (27/3), cerca de 16 mil crianças foram imunizadas contra a doença. Antes do primeiro caso, registrado em 6 de março, Israel não contabilizada infectados por pólio há 30 anos.

O país africano Maláui também registrou novos casos recentemente. O continente não computava ocorrências da doença havia cinco anos. Em 2020, a Organização Mundial da Saúde chegou (OMS) anunciou erradicação da poliomielite na região.

A cepa detectada no Maláui seria semelhante às que circulam atualmente no Paquistão, onde a doença continua a ser endêmica.

Vacinação em queda

No Brasil, a cobertura vacinal contra pólio tem diminuído gradativamente desde 2015. A enfermidade foi eliminada oficialmente do território nacional em 1994, há 28 anos.

Dados do Ministério da Saúde, coletados por meio da plataforma Datasus, apontam queda de 31% na cobertura vacinal entre 2015 e 2021.

Anualmente, a meta da pasta nas campanhas de vacinação é de atingir 90% do público-alvo. Em 2015, os índices foram positivos: a cobertura vacinal contra pólio foi de 98,29%.

No entanto, ao longo dos anos, a porcentagem sofreu queda. Entre 2016 e 2019, a cobertura ficou entre 84% e 89%. Em 2020, após o início da pandemia de Covid, o índice foi de 76%. Os dados mais recentes mostram que, em 2021, a cobertura chegou apenas a 67,7%.

Por Metrópoles

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS